Em 2017, tivemos um grande avanço no combate à exclusão social e preconceito sofrido pelas pessoas com deficiências. Foi sancionada a lei 13585/2017, que instituiu a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla que ocorre no segundo semestre de cada ano. Durante essa semana, são realizadas palestras, debates e atividades pertinentes a essa temática. Esse ano o tema sugerido foi:

Todo ser humano tem direito de ser inserido em sociedade. As oportunidades, entretanto, são raras para aqueles que apresentam alguma deficiência. Assim como as atividades que dão oportunidade para que esses seres superem essa deficiência e sejam realmente incluídos.

A capoeira, uma modalidade esportiva considerada, hoje, um patrimônio cultural, desenvolvida no contra turno da APAE- Fazenda Rio Grande pelo Mestre Spock desponta como uma das mais bem-sucedidas nesse sentido.

É importante ressaltar que aquele que se sente excluído, marginalizado, reduzido, para se defender, normalmente, opta pela fuga, pelo isolamento, por um “apagamento” de seu EU.

A capoeira recupera esse “ EU” perdido desses seres, de uma forma educativa e, acima de tudo, humana. Desenvolve habilidades motoras e oferece também uma oportunidade de interação com o professor e os demais alunos que é muito importante para o seu desenvolvimento.

Em tempos de pandemia é incentivado a improvisação de objetos para dar ritmo à música, parte fundamental da capoeira. Por exemplo, o mestre Spock utiliza um balde de plástico para fazer a percussão, uma improvisação simples, mas com um ensinamento extraordinário, uma lição de vida muito grande, pois mostra como objetos comuns podem receber diferentes utilidades e valores de acordo com aquele que o manipula.

O contato com os alunos, a forma como se dirige a eles, a empatia revelada em cada palavra, em cada gesto, a forma humana como conduz suas aulas, sem dúvida, são a mola que impulsiona esses alunos em busca de seu protagonismo. E esse protagonismo é revelado em vários momentos da oficina. São protagonistas ao executarem os movimentos, que podem parecer elementares, básicos, mas cada movimento é uma vitória que traz confiança e alegria aos alunos.

Em resumo, por meio da capoeira os alunos têm a oportunidade de mostrar para os outros e principalmente para si mesmos todo o seu potencial, sua capacidade de executar movimentos, de se integrar, de fazer parte de um grupo, de criar, sair do lugar comum e agir livremente.

Eles têm a oportunidade de serem autores de sua própria história

Por: Bráulio Cordeiro – Escritor voluntário.