Segundo a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego, o uso de aparelhos é a terceira maior causa de acidentes no trânsito, atrás somente de embriaguez ao volante e excesso de velocidade. Ao todo, são cerca de 150 mortes por dia e quase 54 mil por ano no país.

Uma pesquisa do Cesvi Brasil indica que, em média, o condutor fica quase três segundos sem olhar para a via quando usa o aparelho. Parece pouco, mas esse tempo é suficiente para causar acidentes graves, pois os motoristas não percebem a mudança repentina dos semáforos, freada mais brusca do carro à frente ou até mesmo invadem a faixa ao lado.

Para a pauta, sugerimos como fonte a porta-voz do Grupo Tecnowise, Roberta Torres, especialista em Segurança e saúde no trânsito e Mestre em segurança no trânsito. Temos os simuladores mais modernos do Brasil, caso se interesse por imagens e queira entender como eles funcionam na prática.

Os números abaixo são do Detran com comparações de infrações com o uso de celulares entre 2017 e 2018

– Rio de Janeiro: aumento de 40 mil para 49 mil.

– Recife: aumento de 21,2 mil para 22,9 mil.

– Distrito Federal: aumento de 32,8 mil para 34,4 mil.

Infrações passaram de médias a gravíssimas

Desde 2016, o CTB passou de média a gravíssima as infrações por uso de celulares. Com isso, o condutor recebe 7 pontos na CNH e paga multa de R$ 293,47. As leis mais severas até ajudam, mas alguns órgãos como o Denatran acreditam que investir na educação dos motoristas pode gerar mais conscientização e ajudar a reduzir o número de infrações.