A Zona Portuária guarda muitas memórias do Rio. Uma caminhada por suas ruas, confirma a riqueza de patrimônios material e imaterial. 

Toda essa região, onde nasceu o samba, tem notória vocação cultural, com manifestações artísticas de todo tipo, marco da identidade desses bairros.

Por isso, listamos 12 lugares para você visitar na Zona Portuária do Rio!

Praça Mauá

Praça Mauá

Praça Mauá marca o início da Avenida Rio Branco e também da Região Portuária. Com a inauguração do Porto do Rio, é um importante ponto de recepção dos navios que trazem turistas à cidade.

Pao-do-Ouvidor
Cada vez mais, o Shopping Paço do Ouvidor se fortalece como ponto de encontro no Centro do Rio. Passa no Paço.

Museu do Amanhã

A proposta do Museu do Amanhã é pioneira em todo o mundo: não há sequer um espaço similar onde atividades culturais e de pesquisa tenham essa proposta de estudo do nosso amanhã.

Museu de Arte do Rio

Inaugurado em março de 2013, o MAR está instalado em duas construções com estilos heterogêneos, porém interligados. O antigo palacete de D. João VI se une à uma edificação modernista.

Largo de São Francisco da Prainha

Popularmente conhecido como Largo da Prainha, está localizado no sopé do Morro da Conceição.

Pedra do Sal

Monumento histórico e religioso, onde se encontra a Comunidade Remanescentes de Quilombos da Pedra do Sal. Foi tombada em 20 de novembro de 1984 pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural.

Morro da Conceição

Marco da ocupação inicial da cidade do Rio de Janeiro pelos portugueses, o Morro da Conceição formava, juntamente com os morros do Castelo, de Santo Antônio e de São Bento, um quadrilátero onde a cidade cresceu por três séculos. Seu modo de vida particular, semelhante aos tradicionais bairros portugueses, se manteve apesar das profundas transformações urbanas ao seu redor.

Cais do Valongo

Segundo estimativas, cerca de 1 milhão de negros escravizados chegaram ao continente desembarcando no Cais do Valongo, construído em 1811 e aterrado em 1911. Por sua magnitude, o local pode ser considerado o lugar mais importante de memória da diáspora africana fora da África.

Jardim Suspenso do Valongo

Construído nos moldes dos parques franceses do século XIX, retornou aos padrões originais após a obra realizada nos últimos anos. Réplicas das estátuas dos Deuses Minerva, Marte, Ceres e Mercúrio, que antes adornavam o Cais da Imperatriz, estão expostas no jardim.

AquaRio

O maior aquário da América do Sul está localizado no Porto Maravilha e reúne cerca de três mil animais em 28 tanques, que somam 4,5 milhões de litros de água salgada.

Boulevard Olimpico (Orla Conde)

Calçadão às margens da Baía de Guanabara, com 28 pontos culturais, um verdadeiro corredor artístico, sendo considerado uma das maiores galerias a céu aberto do mundo.

Beco das Sardinhas

Simples e ao mesmo tempo delicioso, está colado no centro velho da Cidade. Vale a pena a visita para além de degustar sardinhas fritas e chopp gelado, se divertir num passeio pelas ruas estreitas do centro antigo, com suas edificaçoes seculares e ruas estreitas.

Angu do Gomes

Em 1760, o então Vice-Rei do Império, Marquês do Lavradio, decide transferir o mercado de escravos da Praça XV para onde hoje ficam os bairros da Gamboa, Santo Cristo e Saúde, região que mais tarde abrigaria o Porto do Rio. São exatamente esses africanos escravizados que trazem o angu para o Brasil.

Fonte: Diário do Rio

Faça o seu comentário