Após ruir a passarela em cima da Linha Férrea em Seropédica, alunos da UFRRJ e transeuntes são obrigados e dividir a pista da estrada Rio São Paulo (BR 465) com caminhões e veículos que por ali trafegam, colocando eles em perigo de vida. Existe um contrato com a MRS e UFRRJ que passava a manutenção e conservação da passarela que ruiu para a Universidade, coisa que nunca foi cumprido até ela cair sobre a linha férrea de tanta ferrugem.

Agora os alunos da Rural passam em cima da ponte com risco também de despencarem. Acontece que uma cratera está se abrindo justamente onde os pedestres passam, colocando em risco a suas vidas se no caso ruir o acostamento como mostra as fotos. (Buraco de mais ou menos 25 cm por 40 cm de profundidade). Se ruir no momento que passar alguém a pessoa vai parar na linha do trem numa altura de mais ou menos 10 metros.

As obras que o DNIT fez na Estrada Rio São Paulo, estão inacabadas e malfeitas. Neste último dia 12/09, um caminhão transportando colchões, ficou agarrado em um sulco criado pela tentativa de recuperação da BR 465. Além disso, várias ruas do município ficaram desniveladas em razão do mau acabamento do serviço. As obras pararam e nem satisfação deram ao contribuinte, onde existe um pedágio nesta rodovia.

dsc_0061
OLHEM O PERIGO QUE A ALUNA RURAL TEM AO ATRAVESSAR A PONTE
dsc_0053
BURACO COM UMA TRINCA DE 1,5 DE COMPRIMENTO PODENDO RUIR EM CIMA DA LINHA FÉRREA
dsc_0050
ÁREA QUE ESTA CEDENDO, PERIGO EMINENTE
dsc_0041
CAMINHÃO FICOU AGARRADO NO SULCO

dsc_0040 dsc_0042 dsc_0043 dsc_0045 dsc_0047

 

 

 

Faça o seu comentário