Os meses de junho e julho é marcado pelas tradicionais festas juninas, e nesta quarta-feira (11), a Escola Municipal José de Abreu de Seropédica, realizou o seu tradicional Arraía que é muito importante não só para trabalhar atividades que envolvam música e dança, mas também aprendem sobre o Folclore Brasileiro.

“Trabalhamos a cultura do Brasil, a origem dos festejos no Brasil, que unia os jesuítas portugueses. Os costumes indígenas e caipiras, pratos com alimentos naturais. Participaram aproximadamente 200 alunos do 1° ano ao 5° ano anos iniciais”. Destaca Aline Leitão.

A Subdiretora Aline leitão, agradeceu a participação do professor de Dança Ronaldo Damas, de todos os funcionários da escola. Irma fez um agradecimento especial a comunidade escolar, país, parentes dos alunos que vierem prestigiar as crianças. “É muito importante para educação das crianças a participação dos pais e tutores de nossos alunos, isso ajuda a socialização e facilita o aprendizado”. Comemora.

“É necessário salientar que as atividades que envolvem música e dança é sem dúvida um importante meio de inserção de cultura e prazer, julgando que as crianças sabem relacionar música e dança, pois é algo materno e com certeza elas irão perceber essa atividade como uma possibilidade de brincar e não há nada mais grandioso do que aprender brincando”.

Foi oferecido as crianças, canjica, vários bolos de fubá, milho, aipim, pé de moleque, doce de amendoim, abóbora e paçoca.

(Obs: “Festa juninafesta julina ou festa julhina”. Festa junina é o nome correto das festas que ocorrem habitualmente em junho ou julho, dedicadas aos três santos de maior adoração dos brasileiros. Os nomes festa julina e festa julhina estão errados.)

A história das festas juninas

As festas juninas surgiram há centenas de anos, na Antiga Europa, onde ocorriam durante o solstício de verão para comemorar o início da colheita e eram organizadas pelos celtas, egípcios e outros povos. No início, as festas eram chamadas de “junônias”, porque uma das deusas homenageadas era Juno, esposa de Júpiter.

Com a crescente influência da Igreja Católica no continente europeu e pela data da festa coincidir com o nascimento de João Batista, as comemorações passaram a se chamar “joaninas”, rendendo homenagens aos três santos do mês. Os primeiros países a comemorar a festa foram Portugal, Itália, França e Espanha.

Em Portugal, as festas são conhecidas pela denominação de “Santos Populares” e correspondem aos feriados de Santo Antônio, em Lisboa; São Pedro, no Seixal; e São João, no Porto, em Braga e em Almada.

Os portugueses foram os responsáveis por trazer a festa junina ao Brasil, durante o período colonial. Os índios que habitavam nas terras brasileiras realizavam rituais para celebrar a agricultura na mesma época de junho. Com a chegada dos jesuítas, as festas se uniram e, na culinária, os pratos passaram a usar os alimentos nativos, como o milho e a mandioca.

Nessa época, ainda havia uma grande influência da cultura dos portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada que influenciou as quadrilhas; a tradição de soltar fogos de artifício veio da China; e a dança de fitas teria vindo de Portugal e da Espanha.

As tradicionais festas juninas brasileiras

As festas juninas ocorrem nos quatro cantos do Brasil, no entanto, na região Nordeste elas ganham maior expressão. Estas festas podem ser divididas entre aquelas que acontecem na Região Nordeste e aquelas do Brasil caipira, que são inspiradas no estado de São Paulo, sul de Minas Gerais, Goiás e norte do Paraná. As festas juninas mais tradicionais acontecem em Caruaru (PE) e Campina Grande (PB), existindo inclusive uma leve rivalidade entre os dois estados.

Além da alegria, da dança, música e das comidas típicas presentes nestas comemorações, os três santos católicos (Santo Antônio, São João e São Pedro) são homenageados no mês de junho.

As tradicionais festas juninas brasileiras incluem a fogueira, a quadrilha, as promessas e simpatias para os santos e os comes e bebes. O termo “quadrilha” vem de uma dança de salão francesa denominada quadrille que, ao chegar ao Brasil, se popularizou e se fundiu com as danças que já existiam nestas terras.

O mês de junho é a época da colheita do milho e, por este motivo, grande parte das deliciosas comidas típicas das festas juninas é feita deste alimento. Dentre as delícias da época estão a pamonha, o cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho, arroz doce, bolo de pinhão, broa de fubá, maçã do amor, pé-de-moleque, vinho quente, quentão e muito mais.

 

Edição de matérias sobre Seropédica e atualidades.

Faça o seu comentário