Cerca de 380 estudantes da rede pública e privada participaram, neste sábado (16), da segunda fase da 13º Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) em Seropédica.

As provas foram feitas no CIEP 156, Dr. Alberto Sabin, no km 40, da Estrada Rio São Paulo. Das 13 escolas municipais escritas, participaram 299 alunos, faltaram 7 alunos que estavam escritos, as 2:50 horas os portões foram fechados para aqueles que chegaram atrasados para prova.

“Muitos alunos ainda enxergam a disciplina como algo difícil de aprender e a Obmep oportuniza aos estudantes se interessarem cada vez mais pelas ciências exatas, abrindo novas portas” disse a Coordenadora de Educação Vera Coimbra.

O Seropédica Online entrevistou alguns alunos de Seropédica para saber porque eles tem tanto interesse em aprender matemática, para participarem de uma olimpíada.

A aluna Ana Beatriz Almeida da Silva falou que estuda no CAIC Paulo Dacorso Filho e disse: “Sempre tive dificuldade em aprender matemática, mas quem fez eu aprender a gostar, foi o Professor de matemática Sergio Felipe, que ensina numa maneira fácil de compreender”.

Na oportunidade entrevistei Ana Paula de Almeida Silva, que é mãe da Aluna do CAIC Ana Beatriz Almeida da Silva de 11 anos, e perguntei: O que a Senhora acha da educação que é dada no CAIC para sua filha? “Eu acho que a educação ali no CAIC é de excelência. Porque sua filha gosta de matemática? “Bom minha filha gosta de raciocínio logico, ela tem interesse por isso, questões que precisam da lógica para resolver é o que mais atrai nela. Além disso minha filha gosta muito das aulas do professor Sergio, que é um incentivador” destaca. 

Já o aluno Bruno Neves Correa, que estuda na Escola Municipal Panaro Figueira disse: “Eu sempre gostei de matemática, as dificuldades que eu tinha o meu professor Rafael Santana, conseguia explicar com mais clareza e objetividade, gosto muito de geometria e equação, meu sonho e ganhar uma medalha nesta competição”.

O aluno da Escola Municipal Valtaír Gabi, Raí Oliveira da Silva disse: “Eu agradeço a escola, pelos professores que eu já tive, o Professor Alexandre que me incentiva a aprender sempre coisas novas, e minha família sempre me fala que a matemática é muito importante na nossa vida, então coloquei isso na minha cabeça, e vou ganhar uma medalha, para pendurar no meu quarto” disse feliz.

O Aluno da Escola Estadual Presidente Dutra, Paulo Alfredo de Freitas Bragança, disse: “Eu gosto de matemática porque é uma matéria que eu me identifico, meu professor Jorge Vidal, ensina muito bem, ele zoa os alunos, faz da aula uma diversão de aprendizagem, ele é muito maneiro, nós achamos que além de professor temos um amigo na sala de aula” 

O aluno Pedro Paulo Tavares de Oliveira, da Escola particular Instituto Figueira de Educação, estava acompanhado de sua mãe e disse: “Gosto de resolver cálculos difíceis, gosto de tudo que se relacione a matemática, pedi a direção da escola para eu participar desta olimpíada para ver como está meu conhecimento”

Na entrevista mostra de como as crianças aprendem conceitos matemáticos, tudo se relaciona na forma que o professor ensina seus alunos, a amizade, as brincadeiras na forma de ensinar, o professor faz o aluno raciocinar, exprimir livremente os seus pensamentos, para se conseguir o objetivo. Hoje se vê que é salientado que a resolução de um problema deve constituir um momento especial de interação e diálogo. É importante que o processo de ensino e aprendizagem da Matemática privilegie não só o raciocínio individual, mas que provoque também a partilha e o estimule com outros saberes matemáticos, como falou o aluno Paulo da Escola Estadual Presidente Dutra.

 

 

Faça o seu comentário