De acordo com a OMS o tabagismo é considerado doença crônica, sendo a maior causa isolada de doença e morte evitável, está inserida na Classificação Internacional de Doença (CID 10) como uma desordem mental e de comportamento em razão da síndrome de dependência a nicotina.

O INCA coordena e executa, em âmbito nacional, o Programa Nacional de Controle do Tabagismo e Outros Fatores de Risco de Câncer visando à prevenção de doenças na população através de ações que estimulem a adoção de comportamentos e estilos de vida saudáveis e que contribuam para a redução da incidência e mortalidade por câncer e doenças tabaco relacionadas no país.

As ações do Programa são desenvolvidas em parceria pelas três instâncias governamentais Federal, Estadual e Municipal, para capacitar e apoiar os municípios brasileiros e abrangem as áreas da educação, legislação e economia. Suas atuações educativas estão divididas em ações pontuais, campanhas de comunicação de massa, como as desenvolvidas nas datas comemorativas do Dia Mundial sem Tabaco, 31 de maio e Dia Nacional de Combate ao Fumo, 29 de agosto.

Além dos efeitos danosos para a saúde dos fumantes, o tabagismo atinge também aos não fumantes classificados como fumante passivo, portanto, é o indivíduo que se expõe involuntariamente à fumaça do cigarro em variados ambientes social. Segundo (Meirelles, 1999) principalmente a fumaça que sai livremente da ponta do cigarro alheio e se espalha pelo ambiente. Essa fumaça contém em média três vezes mais nicotina, três vezes mais monóxido de carbono e até cinqüenta vezes mais substâncias cancerígenas do que a fumaça que o fumante inala.

O Secretário de Saúde e Defesa Civil Dr. Cesar Mateus Cilento Guimarães disse que o  PNCT, funciona em Seropédica desde 2009, atualmente em quatro UBS, sendo, UBS Manoel Mendes;km 42, UBS Onofre F Mendes; Campinho de Areia, UBS Maria Antônia de Britto; Canto do Rio e UBS Piranema; SMS de Seropédica. De segunda a sexta- feira de 8:00 às 17:00h.

“O atendimento é realizado individualmente, pois já alcançou a maior parte da população alvo. O tabagista precisa ter vontade de parar, por isso é realizada uma entrevista para avaliar caso a caso. É importante salientar que o principal ator do programa é o paciente, que precisa estar determinado a deixar de fumar. Dessa forma de cada dez usuários que procuram o tratamento, oito consegue deixar de fumar com sucesso” destaca Dr. Cesar.

O Prefeito Martinazzo destaca que quem fuma ou conhece alguém que tem vontade de parar de fumar, mas não consegue, deve comparecer a uma das unidades de saúde de seu bairro e busque informações sobre os locais que oferecem tratamento. “As pessoas começam a fumar por muitas razões e sem saber são vítimas da dependência que a nicotina cria, o que torna parar de fumar mais difícil por suas implicações físicas e psicológicas” comenta Martinazzo.

campanha_tabagismo

 

Faça o seu comentário