Nesta sexta-feira dia 6 de março as Equipes Coordenadas pela Secretaria de Saúde e Assistência social da Prefeitura de Seropédica estarão atendendo as pessoas que foram atingidas pelas enchentes, nos Postos de Saúde do Oza no Bairro Jardins, Clinica da Família na comunidade do Vasquinho, e na Igreja Batista Campo Lindo.

Serviços oferecidos: Orientações de Saúde e Assistência Social, aplicação de vacinas contra, Sarampo, Tétano, Hepatite A. “Somente para as crianças a partir de 1 ano e 3 meses até menores de 5 anos”. E orientações de higiene e cuidados contra Leptospirose. 

Relação de Doenças provenientes das enchentes:

  • Cólera. Pode ser transmitida pela água e alimentos contaminados, causando diarreia em razão das toxinas que a bactéria Víbrio cholerae libera.
  • Dengue. Pode estar presente em casos de inundação por propiciar ambientes próprios para desova da fêmea – água parada. …
  • Febre tifóide. …
  • Hepatite A e E. …
  • Leptospirose. …
  • Tétano. …

Leptospirose

Apelidada de doença do rato, é transmitida pela urina dos roedores infectados que se espalha pelas enchentes. Feridas aumentam o risco da doença, mas mesmo uma pele intacta pode ser invadida pela bactéria Leptospira — se você estiver em contato com água contaminada.

“A maioria dos casos tem sintomas leves, como febre e dor de cabeça”, diz Aranha. “Mas há quadros graves que podem até matar”. O tratamento envolve repouso, hidratação, uso de antibióticos e, eventualmente, internação na UTI para lidar com as complicações, a exemplo de insuficiência renal e sangramento no pulmão

Hepatite A

Diferentemente da leptospirose, é causada por um vírus. Ele acessa o corpo principalmente pela ingestão de líquidos e alimentos com fezes contaminadas.

Ou seja, descarte comida ou líquidos que entraram em contato com a água da enchente, mesmo se estiverem embalados. É o caso dos vegetais que foram comprometidos pelo alagamento que afetou a Ceagesp, em São Paulo.

Também é importante verificar se a enchente afetou caixas d’água ou outros reservatórios na casa. “Nesse cenário, até tomar banho poderia disseminar a doença, porque a água encosta na boca e nas mucosas”, informa Aranha.

A boa nova: na maioria dos casos, o próprio corpo se livra da hepatite A após um ou dois meses. Alguns episódios se prolongam por seis meses.

Não há tratamento específico para o vírus, porém existe uma vacina, administrada gratuitamente a crianças menores de 5 anos e a indivíduos com alguma doença no fígado.

Os sintomas incluem febre, mal-estar, náusea, vômito, dor abdominal e olhos amarelados. Em situações raríssimas, o vírus ocasiona uma hepatite fulminante, em que os danos ao fígado são severos, súbitos e podem levar a óbito.

Por outro lado, vários indivíduos com hepatite A não manifestam sinais da enfermidade. Ainda assim, podem espalhar o vírus enquanto o organismo não se livra dele.

Faça o seu comentário