Água e energia estão entre os desafios globais mais iminentes. Celebração pautada pela ONU incentiva uso sustentável do recurso

O Dia Mundial da Água, a ser comemorado neste domingo (22), foi instituído para lembrar a importância do benefício e incentivar o uso sustentável dos recursos hídricos no planeta. O tema deste ano é ‘Água e Desenvolvimento Sustentável’.

Celebrada desde 1993, a data é resultado da Conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre meio ambiente e desenvolvimento, realizada em 1992, no Rio de Janeiro (RJ).

Desde então, as celebrações ao redor do mundo acontecem a partir de um tema anual, definido pela própria Organização, com o intuito de abordar os problemas relacionados aos recursos hídricos.

Entre os temas já escolhidos para a data estão: água e energia, cooperação pela água, água e segurança alimentar, águas transfronteiriças, saneamento, água limpa para um mundo saudável, lidando com a escassez de água e água para as cidades: respondendo ao desafio urbano.

Aquífero Piranema em Seropédica

A maior riqueza do século XXI é a água potável, ou melhor dizendo, água em condições de uso humano. Inclusive, a falta deste precioso líquido já é em muitos lugares argumento para guerras entre nações. Pois, o acesso a água é um direito de todos. E também não podemos nos esquecer que ela é um bem finito, ou seja, pode acabar se não for adotada formas de proteje-la.

Aquífero é simplesmente uma região onde o solo funciona como uma esponja que retém as águas nas partes profundas do solo e pouco dela se perde. Nesse cenário, as regiões que possuem aquíferos, estão menos sujeitos a secas extremas, pois possuem reservas. Essas reservas podem se estender, de acordo com o uso racional, a até milhares de anos.

Nesse cenário, podemos dizer que a cidade de Seropédica ganhou na MEGA-SENA, pois 50% de seu território encontra-se em cima do Aquífero Piranema, o maior aquífero da América do Sul com aproximadamente 200 KM². Recentemente, descobriu-se que o então chamado “mega-aquífero Guarani” é na verdade milhares de pequenos aquíferos…o que coloca em destaque o nosso aquífero.

O maio crime feito contra o meio ambiente do Rio de Janeiro, pode-se dizer do Brasil foi a instalação da CTR em cima deste Aquífero Piranema.

Areais em Seropedica
Em Seropédica nosso desafio é conservar o Rio Guandu as lagoas dos areais e o Aquífero Piranema

Cenários futuros

A ONU prevê que, em 2030, a população global vai necessitar de 35% a mais de alimento, 40% a mais de água e 50% a mais de energia.

Água e energia estão entre os desafios globais mais iminentes, segundo o secretário-geral da Organização Meteorológica Global e membro da ONU-Água, Michel Jarraud, em nota divulgada pela organização.

Atualmente, 768 milhões de pessoas não têm acesso à água tratada, 2,5 bilhões não melhoraram suas condições sanitárias e 1,3 bilhão não têm acesso à eletricidade, de acordo com a ONU.

A situação é considerada inaceitável por Jarraud. Segundo ele, outro agravante é que as pessoas que não têm acesso à água tratada e a condições de saneamento são, na maioria das vezes, as mesmas que não têm acesso à energia elétrica.

O Relatório Global sobre Desenvolvimento e Água 2014, de autoria da ONU-Água, reforça a necessidade de políticas e marcos regulatórios que reconheçam e integrem abordagens sobre prioridades nas áreas de água e energia.

O documento destaca como assuntos relacionados à água impactam no campo da energia e vice-versa. Um dos exemplos citados lembra que a seca diminui a produção de energia, enquanto a falta de acesso à energia elétrica limita as possibilidades de irrigação.

Ainda de acordo com o relatório, 75% de todo o consumo industrial de água é direcionado para a produção de energia elétrica.

Energia e água estão no topo da agenda global de desenvolvimento, segundo o reitor da Universidade das Nações Unidas, David Malone, que este ano é o coordenador do Dia Mundial da Água em nome da ONU-Água, juntamente com a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido).

O diretor-geral da Unido, Li Yong, destacou a importância da água e da energia para um desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável.

“Há um forte clamor hoje para a integração da dimensão econômica e o papel desempenhado pela indústria das manufaturas em particular, na direção das prioridades de desenvolvimento pós‐2015. A experiência mostra que intervenções ambientalmente saudáveis nas indústrias de transformação podem ser altamente efetivas e reduzir significativamente a degradação ambiental. Eu estou convencido que um desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável será um elemento chave para uma integração bem sucedida das dimensões econômica, social e ambiental, ” declarou Li, em nota da ONU.

Fórum Mundial da Água em 2018

Brasília (DF), que concorria com Copenhague (Dinamarca), foi eleita em fevereiro de 2014, durante a 51ª Reunião do Quadro de Governadores do Conselho Mundial da Água (WWC), em Gyeongju (Coreia do Sul), para sediar o Fórum Mundial da Água de 2018

O fórum ocorre a cada três anos e é o maior evento do mundo com a temática dos recursos hídricos. A campanha brasileira apresentou o tema ‘Compartilhando Água’, para integrar os assuntos discutidos nas edições anteriores do evento, dando continuidade aos debates já realizados sobre os desafios do setor de recursos hídricos.

Segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), em agosto de 2013, uma equipe de avaliadores esteve na capital federal, e produziu um relatório sobre infraestrutura de transportes, mobilidade urbana, rede hoteleira e locais para realização do fórum, que serviu de subsídio para que a cidade fosse a escolhida.

A próxima edição do evento organizado pelo WWC, em 2015, será em duas cidades da Coreia do Sul, Daegu e Gyeongbuk, com o tema ‘Água para Nosso Futuro’.

O objetivo é destacar a temática dos recursos hídricos na agenda global e reunir organizações internacionais, políticos, representantes da sociedade civil, cientistas, usuários de água e profissionais do setor.

Conheça as principais regiões hidrográficas do Brasil

O Brasil, em virtude de sua grande extensão territorial, apresenta 12 grandes bacias hidrográficas, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH), que são os órgãos nacionais responsáveis pelo planejamento ambiental e o uso racional da água.

Essas bacias de drenagem são delimitadas pela topografia do terreno. Conheça cada uma mais sobre as Bacias Hidrográficas: Faça sua pesquisa aqui:

Região Hidrográfica Amazônica
Região Hidrográfica do Tocantins-Araguaia
Região Hidrográfica Atlântico Nordeste Ocidental
Região Hidrográfica do Parnaíba
Região Hidrográfica Atlântico Nordeste Oriental
Região Hidrográfica do São Francisco
Região Hidrográfica Atlântico Leste
Região Hidrográfica do Paraguai
Região Hidrográfica do Paraná
Região Hidrográfica do Sudeste
Região Hidrográfica do Uruguai
Região Hidrográfica Atlântico Sul

ctr
Lixo sendo colocado em cima do Aquífero Piranema (Crime Ambiental)