Foi realizado nesta segunda-feira (30), Fórum de Secretários de Meio Ambiente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Guandu em Seropédica. Com o tema: Ações de Combate aos Incêndios Florestais e Saneamento Ambiental na Região Hidrográfica ll -Guandu. 

Neste encontro foi apresentado o Novo Código Florestal por Luiz Fernando Duarte de Moraes, da Embrapa Agrobiologia, com destaque na prospecção inicial junto as prefeituras do RJ, sobre demandas associadas e adequação ambiental de propriedades rurais. Depois desta apresentação ficou evidente que é grande o número de estudiosos no assunto que se posiciona contra o texto do novo Código Florestal, considerando as normas contidas no mesmo um verdadeiro retrocesso na área ambiental, pois ensejam a inevitável intensificação da degradação ambiental.

Logo após o representante do INEA, Marco Aurélio Paes, Chefe do Guarda-Parques, falou sobre preservação da florestas e desmatamento. A Pauta apresentada teve ainda discussão sobre saneamento Rural e Urbano, prevenção as queimadas e incêndios florestais. 

O Secretário de Ambiente e Agronegócios de Seropédica, Antônio Ferreira Pedregal Filho, esteve presente no evento e destacou a importância deste fórum: “A ideia é realizar um diálogo com a sociedade mostrando os prejuízos que as queimadas dão ao meio ambiente é, uma ação destruidora tem impactos bastante fortes e duradouros no meio ambiente. A destruição da vegetação é o maior impacto ambiental que uma queimada causa, pois durante esse processo muitas espécies nativas podem acabar desaparecendo para sempre” destaca.

O Comitê Guandu é formado pelos Secretários de Ambiente das Prefeituras de: Queimados, Barra do Piraí, Japeri, Mangaratiba, Rio Claro, Pirai, Nova Iguaçu, Seropédica, Paracambi, Itaguaí, Miguel Pereira e Mendes. 

O Comitê das Bacias Hidrográficas dos rios Guandu, da Guarda e Guandu-Mirim (Comitê Guandu-RJ) foi criado pelo Decreto Estadual n° 31.178 em 3 de Abril de 2002. Em 25 de novembro de 2015, foi dada nova redação a este Decreto pelo Decreto nº 45.463.

Sediado em Seropédica (RJ), na Baixada Fluminense, ele é um órgão colegiado vinculado ao Conselho Estadual de Recursos Hídricos (CERHI), com atribuições consultivas, normativas e deliberativas, de nível regional, integrante do Sistema Estadual de Gerenciamento e Recursos Hídricos (SEGRHI), nos termos da Lei Estadual n° 3.239/99. O Comitê visa a promover a gestão descentralizada e participativa dos Recursos Hídricos na bacia hidrográfica.

A área de atuação do Comitê engloba as bacias dos rios Guandu (1.385 km²), da Guarda (346 km²) e Guandu Mirim (190 km²), totalizando uma área de drenagem de 1.921 km². A área representa cerca de 70% da área total da bacia hidrográfica contribuinte à Baia de Sepetiba. Essa Região Hidrográfica engloba o território de 15 municípios fluminenses: Itaguaí, Seropédica, Queimados, Japeri, Paracambi, Engenheiro Paulo de Frontin (totalmente abrangidos), além de Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, Miguel Pereira, Vassouras, Piraí, Rio Claro, Mangaratiba, Mendes e Barra do Piraí (parcialmente abrangidos).

Dentre as ações desenvolvidas no Comitê, estão: estudos, programas de educação ambiental, de mobilização social, projetos e obras que visam a melhoria da quantidade e qualidade das águas, que abastecem cerca de 9 milhões de habitantes da Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ) e municípios citados anteriormente, possuindo assim uma posição vital num dos maiores sistemas de captação, tratamento e distribuição de água do mundo.