A Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de Seropédica, através do Programa Criança Feliz que atende gestantes de crianças de 0 a 3 anos de idade e tem como ponto central a visita semanal às casas das famílias de baixa renda para acompanhar e estimular o desenvolvimento das crianças até os 3 anos de idade.

Para garantir acesso à dignidade de mães e crianças em situação de vulnerabilidade social, contribuindo assim na melhoria e qualidade de vida dos munícipes a SMASDH lançou o Projeto Gestante Feliz, que visa iniciar o vínculo de acolhimento entre as futuras mães, seus bebês e os serviços ofertados pela secretaria. O Projeto conta com palestras, acompanhamento das visitadoras do Programa Criança Feliz e entrega de Kit Bebê, que conta com itens como banheira, fralda descartável, bolsa maternidade, entre outros.

Para Vandrea Furquim, secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, esta implementação vem atender duas das maiores bandeiras de sua gestão: a mulher e a criança. “O acompanhamento realizado contribui com o desenvolvimento da criança e da família. É um trabalho Inter setorial tanto na saúde, como na educação, temos um tripé, tanto a mãe é acompanhada como toda a família”, comentou.

Para a coordenadora do Programa Criança Feliz, Ana Paula Duarte, o programa colabora no fortalecimento do papel familiar no desempenho da função de cuidado, proteção e educação de crianças. “Um dos principais objetivos é fortalecer a rede de serviços de forma que as gestantes e suas famílias tenham acesso às políticas e serviços públicos”, explicou.

A previsão de próxima entrega de Kits Gestante será para o mês de setembro.

O público-alvo é formado por gestantes e crianças de 0 a 3 anos de idade beneficiárias do Bolsa Família, e até os 6 anos aquelas crianças com algum tipo de deficiência e que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Para participar do Projeto Gestante Feliz, as mães devem procurar o CRAS mais próximo de sua residência e realizarem sua inscrição. Os critérios para participação são: renda percapta de R$ 200, estar inscritas no CadÚnico, além de participar das palestras e atividades do Projeto.