O governo federal anuncia com muita euforia a concessão da maior parte da Dutra e do trecho da Rio-Santos entre Ubatuba e Itaguaí. Entretanto, a realidade reserva uma má notícia para os usuários da eterna Rio-São Paulo.

A nova descida da Serra das Araras, um trecho atualmente com limite de 40km/h, traçado que tem mais de 70 anos e sem acostamento, com carretas obrigadas a usas as duas pistas para fazer as curvas do trecho, não ficará pronta antes de 2029.

Isso caso a nova concessionária cumpra suas obrigações, conforme estabelece o novo modelo de concessão. É importante enfatizar que são apenas 9km de rodovia, embora seja um trecho complexo.

O Coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto lembra que a Dutra foi inaugurada, ainda com pista simples na maior parte do trecho em 1951 e estava totalmente duplicada, inclusive com a nova pista de subida, em 1968. “Portanto, os governos daquele período, sem a tecnologia e equipamentos hoje existentes, conseguiram duplicar rodovia mais importante do país sem pedágio em 17 anos . Já nos tempos de concessão, passaremos 34 anos para fazer 9km de pista na Serra das Araras.”

E como se não bastasse, quando a ANTT- Agência Nacional de Transportes Terrestres apresentou a primeira versão do novo projeto de concessão, em janeiro de 2020, a obra iniciaria no terceiro ano de concessão. Agora começa no sexto ano, conforme o PER- Programa de Exploração da Rodovia publicado esta semana.

Apesar de prevista no contrato da NovaDutra, cuja concessão iniciou em 1996, a obra nunca foi realizada em 25 anos de concessão. Agora, a nova concessionária assumirá a rodovia provavelmente em 2022 e somente no sexto ano que deverá iniciar a nova obra, que supostamente deve ficar pronta em 2029.

Serão décadas pagando pedágio, considerando a concessão atual, para que o usuário tenha finalmente uma pista de descida segura na rodovia mais importante do país. E não há nenhuma garantia de que efetivamente esse prazo será cumprido.

Neste período o Brasil terá passado por 8 mandatos presidenciais. Para quem tem dúvidas, a informação consta do PER – Programa de Exploração da Rodovia.

O Estradas.com.br já tinha alertado em janeiro de 2020, sobre a concessão da rodovia mais importante do país não prever imediatamente essa obra.

Muitos motoristas profissionais, que passam pelo trecho regularmente, terão trabalhado e se aposentado sem ver a nova pista de descida da Serra das Araras. Outros terão pago pedágio por 34 anos até que a obra fique finalmente pronta.

O Estradas.com.br sempre foi e continua sendo a favor da concessão de rodovias. Entretanto, não podemos comemorar nosso modelo como se fosse um exemplo para o mundo. A demora na execução de obras, assim como outras que sequer são realizadas, apesar de financiadas nos pedágios, é inaceitável.

Fonte: Estradas