Notícias do Governo
Cedae prepara profissionais para agilizar obras do PAC 2

Marcelle Colbert  Assessoria de Comunicação do Palácio

Empresa investirá R$ 882 milhões nas cidades de Rio de Janeiro, São Gonçalo, Seropédica, Itaguaí, Queimados e Macaé

Nos próximos dois anos, a Nova Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos) irá ampliar o abastecimento de água e esgotamento sanitário no Rio de Janeiro, São Gonçalo, Seropédica, Itaguaí, Queimados e Macaé. As obras da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), orçadas em R$ 882 milhões, levarão qualidade de vida para mais de 2,5 milhões de cidadãos. Para manter a excelência da prestação de serviços e agilizar as melhorias, a empresa capacita até agosto 50 gerentes de projeto.

– O curso, realizado na UniverCedae (Universidade Corporativa da Cedae), é voltado para todos os gerentes das obras contratadas. A metodologia foi desenvolvida com base no padrão PMI (Project Management Institute), auxiliando na transição de uma posição de carreira técnica para uma posição de gestão e liderança. No total, são quatro meses de qualificação, que ajudará na realização de importantes intervenções como as do PAC 2 – afirmou o presidente da Cedae, Wagner Victer.

De acordo com o gerente da UniverCedae, Clovis Nascimento, o curso é o que há de mais moderno na área de gerenciamento de projetos e irá maximizar a relação custo-benefício dos empreendimentos. Com carga horária total de 120 horas, a qualificação aborda a gestão de processo e de pessoas. Os gerentes da Cedae e da Secretaria de Obras, a maioria envolvidos com as obras do PAC 2, são divididos em duas turmas.

– A capacitação introduz uma nova metodologia nas organizações para que aprendam a trabalhar por projeto e com um objetivo claramente definido, o que agiliza as obras da empresa. Nossa meta é estender o curso, orçado em R$ 127 mil, para todos os profissionais da área da Nova Cedae – explicou Clovis Nascimento.

O gerente de projetos da Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, e dos bairros da Zona Sul, Claudino do Espírito Santo, já está colocando em prática o que aprende no curso desde maio. O engenheiro aproveita para gerenciar as obras do PAC 2 na região de Jacarepaguá, com cronograma e orçamento planejados, para que a empresa possa dar início às obras do novo sistema adutor da Barra e do Recreio.

– Ao longo dos últimos anos, a Cedae vem nos ajudando a modernizar os procedimentos rotineiros. Esse novo curso está abrindo muito as nossas cabeças. Essa ferramenta do PMI nos mostra como podemos aplicar ações simples e eficientes no nosso dia a dia, nos ajuda a atingir o objetivo da obra no tempo estabelecido e minimizamos os acidentes de percurso – disse o engenheiro.

PAC 2: obras são as maiores da história das cidades de Maricá e Macaé

Entre as obras realizadas pela Cedae durante a segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento, está a ampliação da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) Alegria, no Caju, que beneficiará o Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, e o início das obras dos troncos coletores Faria Timbó e Manguinhos. Serão construídos ainda quatro reservatórios: Mirante, Guaratiba I, II e III e troncos de alimentação para os reservatórios.

Uma nova unidade de produção de água tratada e uma adutora estão em estudo na Baixada Fluminense. Na Região Metropolitana, a Cedae investe no aumento do abastecimento em Seropédica e Itaguaí com a construção de quatro reservatórios, implantação de adutora, três elevatórias, rede de distribuição e execução de 9,8 mil ligações prediais. O bairro Monjolos, em São Gonçalo, também terá a oferta de água ampliada.

Em Maricá, na Região dos Lagos, o governo estadual constrói uma elevatória e uma estação de tratamento de esgotos. A Cedae também irá melhorar o abastecimento nos distritos de Inoã e Ponta Negra, com recursos no valor de cerca de R$ 70 milhões. No município de Macaé, no Norte Fluminense, a empresa desenvolve um projeto básico para aumentar a produção de água, prevendo demanda futura, através de captação, adução, reservação e distribuição.

– Nós já realizamos as mais importantes obras da área em Macaé, estendendo de 350 litros por segundo para 600 litros/segundo nos últimos quatro anos com a inauguração do reservatório Santa Mônica. As melhorias que levamos para Maricá foram as maiores da história da cidade e em todos os setores: a ampliação da Estação de Tratamento de Água (ETA) teve sua capacidade aumentada em 50%, passando dos 80 litros por segundo para 120 litros por segundo – ressaltou Victer.

Fonte: http://www.intranet.rj.gov.br/exibe_pagina.asp?id=12457