O prefeito Washington Reis garantiu que o município tem boa infraestrutura. Moradores questionam, afirmando que os alagamentos são frequentes

O temporal que atingiu Xerém, em Duque de Caxias, nesta terça-feira (22/12) deixou duas vítimas. Duas mulheres morreram após serem arrastadas pela força da água. Elas não resistiram aos ferimentos. As vítimas tinham 16 e 58 anos e são da mesma família, segundo testemunhas. Segundo a Defesa Civil, uma delas chegou a ser levada para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Jardim Primavera, mas morreu na unidade.

Em 24 horas, choveu metade do que era esperado para o mês inteiro em Xerém. O temporal, que começou no início da tarde, deixou bairros como Carreteiro e Vila Santo Antônio debaixo d’água, além de ter causado o desabamento de três casas no município. Três carros também foram levados com a força da água. A Defesa Civil informou que sirenes de alerta foram acionadas em diferentes regiões e que deu início a um levantamento de estragos e áreas de riscos.

O prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis (MDB), em entrevista ao Bom Dia Rio, disse que a prefeitura irá auxiliar no custo do funeral. Ele afirmou ainda que mais de mil funcionários da prefeitura estão nas ruas para auxiliar as cerca de 150 famílias que ficaram desalojadas e prometeu dar assistência para toda a população que ficou sem um lar.

Primeiro nós vamos avaliar com a Defesa Civil as casas condenadas. Através do Aluguel Social e do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ vamos realocar essas famílias, mas o mais importante é restabelecer a vida. Hoje estamos com um aparato, vamos trabalhar de madrugada de novo e vamos passar o Natal com tudo em ordem“, declarou o prefeito.

Apesar do transtorno causado pelo temporal, o prefeito garantiu que o município tem uma boa infraestrutura.

Nós temos uma grande infraestrutura, nós construímos de galerias. Foi uma chuva de grandes proporções e, logo após a chuva, escoou toda a água. Agora o processo é mais de limpeza e de recuperação de algumas partes destruídas, mas nada que tenha um custeio muito grande“, disse o prefeito.

Entretanto, apesar da declaração do prefeito, moradores de Duque de Caxias relatam que os alagamentos são frequentes, não apenas em Xerém, mas em boa parte do município.

Infelizmente, não há um plano de prevenção para as fortes chuvas. Todo ano acontece isso e a gente não vê um preparo para a próxima chuva. Falta um preparo pra lidar com essa chuva que todo ano acontece e todo ano traz transtornos. Fora as chuvas do resto do ano, que alagam diversos bairros, inclusive o Centro de Caxias… qualquer chuva, mesmo mais fraca, já alaga tudo“, contou o caxiense Daniel Moreira, que mora em Xerém, um dos bairros que mais sofre com os danos causados pelas chuvas.

Chuva na Baixada Fluminense

Não foi apenas Duque de Caxias que passou por transtornos devido à chuva desta terça-feira. Em Magé, várias ruas ficaram alagadas e carros chegaram a ser arrastados pela correnteza. A cidade, que estava em estágio de alerta até a publicação desta reportagem, foi o lugar do estado que mais teve volume de chuva. Em 12 horas, choveu o que era esperado para o mês inteiro.

Em Guapimirim, houve um deslizamento de terra em uma rua no bairro Garrafão, mas ninguém ficou ferido. O nível do rio Soberbo aumentou e a cidade também estava em estágio de atenção até a publicação desta reportagem.

Em Nova Iguaçu, as ruas do bairro Tinguá ficaram alagadas após um rio transbordar. Moradores da região afirmaram que a Defesa Civil pediu para que eles deixassem as casas e se abrigassem em uma igreja próxima ao local.