Conheça a História de Ana Paula de Souza, moradora de Seropédica, seu sofrimento e a luta para vencer a doença.

Vitória na luta contra a esclerose múltipla

O mês de novembro de 1997 foi o divisor de águas na vida de Ana Paula de Souza, moradora de Seropédica (RJ). “Foi tudo muito repentino, sem explicação. Apenas senti uma dor no pescoço e tudo começou a enfraquecer.

Das 17 horas em diante deitei no chão e não sentia mais nada. Perdi o movimento das pernas por completo, do seio para baixo não sentia mais nada”, relembra.

Ana Paula foi levada para o hospital da vizinha cidade de Angra dos Reis. Daí em diante foi só piorando, perdeu a respiração, ficou quatro dias no CTI, depois foi transferida para o Hospital do Andaraí, no Rio, onde ficou internada 30 dias.

Foi ali que os exames de ressonância magnética acusaram o diagnóstico: esclerose múltipla. Após a alta do hospital, começou outra luta, com apoio da mãe, para ganhar movimentos, ficar sentada, respirar melhor, comer sozinha.

Foram muitos dias de muitas batalhas, mas hoje olho para trás e vejo que venci. Não foi fácil, tive ajuda de muitos amigos, conheci novos amigos, vivi momentos bons, vivi momentos ruins, mas todos os dias foram de aprendizados.

A minha vida foi um misto de emoções, foi uma eterna canção do Roberto Carlos: ‘Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi’”, comenta Ana Paula.

Ela conta que chegou a sentir vergonha de usar a cadeira de rodas. “Hoje eu tenho orgulho e olhar para ela e ver que lutei e consegui vencer. Agradeço por cada momentinho, sejam eles bons ou ruins, mais ou menos, sejam eles chorando ou sorrindo. Mas foram bons, foram de aprendizados que nenhuma escola no mundo poderia me ensinar. Pra chegar até aqui foram muitas lutas. Agradeço cada dia a Deus por cada movimento, cada respiração, porque não foi fácil”.

A sua luta pela doença continua, e Ana precisa do apoio de todos nós, para tanto foi criado um site de ajuda para compra da cadeira de rodas, para acessar clique aqui: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajuda-pra-compra-de-uma-cadeira-de-rodas-ana-paula-souza

 

O que é Esclerose Múltipla ?

A Esclerose Múltipla (EM) é uma doença neurológica, crônica e autoimune – ou seja, as células de defesa do organismo atacam o próprio sistema nervoso central, provocando lesões cerebrais e medulares. Embora a causa da doença ainda seja desconhecida, a EM tem sido foco de muitos estudos no mundo todo, o que têm possibilitado uma constante e significativa evolução na qualidade de vida dos pacientes. Os pacientes são geralmente jovens, em especial mulheres de 20 a 40 anos.

A Esclerose Múltipla não tem cura e pode se manifestar por diversos sintomas, como por exemplo: fadiga intensa, depressão, fraqueza muscular, alteração do equilíbrio da coordenação motora, dores articulares e disfunção intestinal e da bexiga.

Sistema Nervoso Central

 

A Esclerose Múltipla:

  • NÃO é uma doença mental.
  • NÃO é contagiosa.
  • NÃO é suscetível de prevenção.
  • NÃO tem cura e seu tratamento consiste em atenuar os afeitos e desacelerar a progressão da doença.

Sintomas mais comuns

Fadiga

Sintoma debilitante de instalação imprevisível ou desproporcional em relação à atividade realizada. A fadiga é um dos sintomas mais comuns e um dos mais incapacitantes da EM. Manifesta-se por um cansaço intenso e momentaneamente incapacitante. Muito comum quando o paciente se expõe ao calor ou quando faz um esforço físico intenso.

Alterações  fonoaudiológicas

Pode surgir no inicio da doença ou no decorrer dos anos alterações ligadas a fala e deglutição com sintomas como: fala lentificada, palavras arrastadas, voz trêmula, disartrias, fala escandida (o que é?) e disfagias (dificuldade para engolir: líquidos, pastosos, sólidos).

Transtornos visuais:

Visão embaçada;
Visão dupla (diplopia);

Problemas de equilíbrio e coordenação:

Perda de equilíbrio;
Tremores;
Instabilidade ao caminhar (ataxia);
Vertigens e náuseas;
Falta de coordenação;
Debilidade (pode afetar pernas e o andar);
Fraqueza geral.

Espasticidade

A espasticidade é arigidez de um membro ao movimento e acomete principalmente os membros inferiores.
A parestesia compromete a sensação tátil normal. Pode surgir como sensação de queimação ou formigamento em uma parte do corpo;
Outras sensações não definidas como a dor, por exemplo.

Transtornos cognitivos

O paciente pode apresentar sintomas cognitivos, ou seja; de memória, durante qualquer momento da doença, e independe da presença de sintomas físicos/ motores. As funções cognitivas mais frequentemente comprometidas são no processamento da memória e na execução das tarefas. Os indivíduos se queixam muito que levam mais tempo para memorizar as tarefas e possuem mais dificuldades para executar as mesmas.

Transtornos emocionais

Pode haver sintomas depressivos, ansiosos, transtorno de humor, irritabilidade, flutuação entre depressão e mania (transtorno bipolar).