Apresentador ainda terá que retirar as boias que impedem o acesso à sua casa na Ilha das Palmeiras

O Ministério Público Federal, em Angra dos Reis, solicitou nesta terça-feira a execução de sentença que condenou o apresentador Luciano Huck a retirar as boias que impedem o acesso à sua casa na Ilha das Palmeiras, além do pagamento de indenização por danos morais coletivos, em decorrência da degradação ao meio ambiente, no valor de R$ 40 mil.

O MPF também pede cálculo da multa por descumprimento de liminar da Justiça Federal em 2010. O apresentador alegava que o cerco se destinava à maricultura.

A decisão remonta o ano de 2011, quando o apresentador foi processado pelo órgão para retirada das boias que impediam o acesso à sua casa na Ilha das Palmeiras, em Angra, no Rio de Janeiro. À época, ele alegou que o cerco se destinava à maricultura, ou seja, o cultivo artificial em ambientes aquáticos de água salgada. 
  
No entanto, para o MPF, o apresentador de TV usava de um pretexto para se apropriar de bem de uso comum do povo. Após uma série de recursos, o Tribunal Regional Federal executou a sentença. Por isso, o MPF pede a intimação de Huck para comprovar o cumprimento da determinação judicial. 
 
Em nota, Luciano afirmou que ”o depósito da quantia atinente à condenação em danos morais e a retirada das boais relacionadas à maricultura ocorreu no mês de outubro de 2010”.