Imagina 30 mil árvores a mais plantadas nas cidades. Centro e bairros arborizados, muita sombra e temperaturas mais amenas. É mais ou menos isso que aconteceria se fosse esgotado o déficit de arborização de cada cidade.

Dentre os vários aspectos positivos da arborização urbana, destacam-se a importância das árvores como filtro ambiental, reduzindo os níveis de poluição do ar através da fotossíntese; a mitigação da poluição sonora pelos obstáculos que oferece à propagação das ondas sonoras; o equilíbrio da temperatura ambiente graças à sombra e evapo-transpiração que realiza; a redução da velocidade dos ventos; a redução do impacto das chuvas; a atração para a avifauna e, sobretudo, a harmonia paisagística e ambiental do espaço urbano.

Principais prejuízos ambientais do desmatamento:

Redução da umidade relativa do ar: A evapotranspiração das folhas é um dos principais reguladores da umidade do ar, além de promover a regulação da temperatura nos ambientes em que estão. A derrubada de matas deixa o ar mais seco e a temperatura mais elevada e instável.

Aumento do efeito-estufa: As arvores são grandes reservas de carbono, que guardam o carbono em sua estrutura orgânica. Ao derrubar ou queimar uma arvore, quase todo o carbono absorvido pelas plantas volta à atmosfera, causando considerável aumento no efeito-estufa, tornando o planeta ainda mais quente.