O objetivo da campanha é aumentar a cobertura vacinal e reduzir a chance dos agentes infecciosos se espalharem

Ao nascer, o organismo humano não possui as defesas necessárias para combater infecções de origem externa, como vírus e bactérias. As vacinas ajudam a diminuir os riscos de doenças e possibilitam o crescimento saudável. Durante o primeiro ano de vida, o bebê recebe um número maior de vacinas, diferente de outras etapas da infância e vida adulta.

A vacina pentavalente imuniza contra cinco doenças e precisa ser aplicada no segundo mês de vida, por meio de injeção. As doenças são:

  • Difteria: causada por bactéria que atinge as amígdalas, faringe, laringe, nariz ou outras partes do corpo, como pele e mucosas e pode causar dificuldade de respirar.
  • Tétano: infecção grave causada pelo bacilo tetânico. Causa contrações musculares dolorosas e pode levar à morte.
  • Coqueluche: infecção respiratória causada por bactéria. É especialmente perigosa em bebês.
  • Hepatite B: doença que provoca mal-estar, febre, dor de cabeça, fadiga, dor abdominal, náuseas e vômitos. Em sua forma mais grave, pode causar infecções e até tumores no fígado.

A vacina também impede infecções causadas pelo Haemophilus Influenzae tipo b, que causa diferentes doenças infecciosas com complicações graves, como pneumonia, inflamação na garganta, dor de ouvido, infecção generalizada na corrente sanguínea, inflamação em uma membrana do coração, inflamação das articulações e sinusite.

Febre amarela

A vacina que previne contra a febre amarela é aplicada com injeção e recomendada para todo o território brasileiro. A infecção causada pelo vírus pode atingir o fígado, o coração e levar à morte. A imunização faz parte da Campanha Nacional de Multivacinação e pode ser aplicada em crianças a partir dos 9 meses e também em adultos que não foram imunizados.

Na Caderneta da Criança, o Ministério da Saúde disponibiliza informações sobre o ciclo de crescimento e as vacinas aplicadas em cada etapa da vida. Todos os imunizantes indicados são oferecidos de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

As vacinas disponíveis para a atualização são:

  • Hepatite A e B;
    Penta (DTP/Hib/Hep B);
    Pneumocócica 10-valente;
    VIP (Vacina Inativada Poliomielite);
    VOP (Vacina Oral Poliomielite);
    VRH (Vacina Rotavírus Humano);
    Meningocócica C (conjugada);
    Meningocócica ACWY (conjugada);
    Febre amarela;
    Tríplice viral (sarampo, rubéola, caxumba);
    Tetraviral (sarampo, rubéola, caxumba, varicela);
    DTP (tríplice bacteriana);
    dT/ Dupla Adulto (difteria e tétano);
    dTpa adulto (difteria, tétano e coqueluche);
    Varicela;
    Pneumocócica 23-valente – Pneumo 23v;
    HPV quadrivalente (papilomavírus humano);
    BCG.

Campanha

Com a Caderneta da Criança, o Ministério da Saúde disponibiliza informações sobre as vacinas aplicadas em cada etapa da vida. Todos os imunizantes são oferecidos de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para toda a população. A Pasta recomenda a vacinação de todas as crianças menores de cinco anos de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação para garantia da saúde e prevenção de inúmeras doenças.

O objetivo da Campanha Nacional de Multivacinação, que vai até 9 de setembro, é aumentar a cobertura vacinal e reduzir o número de não vacinados. Quanto maior o número de pessoas vacinadas, menor a chance dos agentes infecciosos se espalharem. Por isso, é importante verificar a situação vacinal e comparecer em um dos mais 40 mil postos de saúde para manter a proteção em dia.

A campanha coincide com a vacinação contra Covid-19, que está em andamento. As vacinas Covid-19 podem ser administradas de maneira simultânea ou com qualquer intervalo com as demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação na população a partir de três anos de idade.