Um gigante metálico com 72 metros de comprimento e capacidade de deslocamento de 1,8 mil toneladas que chegou ao mar nesta última sexta-feira 11 em Itaguaí, Costa Verde do Rio de janeiro.

Trata-se do Humaitá, o segundo de quatro submarinos convencionais que estão sendo construídos no País dentro do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub). O quarteto é o primeiro passo para a fabricação de um modelo com propulsão nuclear, previsto para ser entregue na próxima década.

O primeiro submarino, o Riachuelo, já está em fases de testes no mar e deverá se incorporar à frota da Marinha em meados do próximo ano. O Humaitá, por sua vez, está na fase final de integração de seus equipamentos e sistemas. 

Apesar da Pandemia do Coronavírus, nos últimos dias, diversos indicadores econômicos vieram acima das expectativas dos analistas, sinalizando uma retomada do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) neste segundo semestre.

Para entender como o Brasil está crescendo mais do que sugere o PIB, é preciso entender como o Produto Interno Bruto é construído e quais são seus componentes internos. O Governo Federal vem investindo em novas Rodovias e Ferrovias que está escoando os produtos brasileiros, aumentando consideravelmente a exportação.  

Além de ampliar e melhorar a qualidade das rodovias, o Governo Federal também está investindo nas ferrovias nacionais, tornando-as uma alternativa logística com maior potencial para o escoamento da produção brasileira.

Atualmente, o modo ferroviário corresponde a 15% da matriz de transporte brasileira. O objetivo é chegar a 30% nos próximos 10 anos. Ou seja, duplicar a malha ferroviária no país. O objetivo é reduzir o custo do transporte e melhorar a eficiência logística do nosso agronegócio, que hoje depende basicamente do modal rodoviário. A ideia, em médio e longo prazo, é conectar as ferrovias aos portos brasileiros.

O Governo Federal quer leiloar à iniciativa privada, até o fim do governo, mais de 100 ativos em vários modais, incluindo aí as ferrovias, as rodovias e os aeroportos.  

Na Costa Verde o Governo Federal vai investir na duplicação da Rodovia Rio Santos (BR 101), os recursos virão da cobrança de pedágio. Com isso vai gerar um aumento significativo nos investimentos no Turismo, e redução dos acidentes na rodovia.

Os investimentos previstos são de 32,47 bilhões. Parte desses recursos serão aplicados na duplicação de 233,1 km e na construção de 337,2 km adicionais. O valor inclui a prestação do serviço público de recuperação, operação, manutenção, monitoramento, conservação, implantação de melhorias na Rodovia.

Estão previstos ainda a instalação de 70 radares fixos, com sistema de leitura automática de placa. Haverá ainda a implementação de 955 postes para transmissão de sinal de wi-fi ao longo das rodovias.

Outra novidade prevista no edital é o desconto para usuários frequentes. Por meio desse sistema, os motoristas que utilizarem a via frequentemente pagarão valores mais baixos de pedágio.

O Município de Mangaratiba é um dos principais polos de Turismo da Costa Verde, que mais vai crescer. Mangaratiba conta com dezenas de ilhas paradisíacas, e belas praias, com sistema de Hotéis e Pousadas e Gastronomia de ponta.   

Bolsonaro participa de batismo e lançamento de submarino, no Rio | Agência  Brasil