1º Fórum de Políticas Públicas do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Seropédica

0
62

Foi realizado nesta quinta-feira (20) o 1º Fórum de Políticas Públicas do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Doenças Raras de Seropédica.

Estiveram presentes a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, Vandrea Furquim, a Primeira-dama Isabel Ribeiro que veio representando o Prefeito Professor Lucas, a Presidente do Comdipdoras, a Coordenadora do Núcleo de Acessibilidade da UFRRJ, Marcia Plestsch, a Subsecretária de Cuidados Especiais da Casa Civil do Estado do rio de Janeiro, Veronica Legentil e a Subsecretária de Assistência Social, Pretta Gonçalves.

A Palestrante Veronica Legentil é Pós-graduanda em Neurociência e Desenvolvimento humanocom, vasta experiência no tema Inclusão de Pessoas com Deficiência, deu um destaque especial sobre a poliomielite e a Paralisia Infantil. “Por vivenciar na pele as dificuldades em ter sequelas da poliomielite ou paralisa infantil, por diariamente encarar os obstáculos impostos por uma sociedade excludente, por ter consciência da falta de recursos médicos para tratamento eficaz das sequelas deixadas pela pólio e ainda, por ler nos últimos meses que na atual campanha nacional de vacinação contra o sarampo e a pólio, os dados no Ministério da Saúde informa que somente 46% das crianças foram vacinadas, decidi então postar esta semana sobre o que é a poliomielite”.

Pois como a paralisia infantil está erradicada no Brasil faz muito tempo, as novas gerações pouco sabem sobre o estrago que esse vírus pode causar e poucos convivem com alguém que tenha as sequelas da pólio.

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa aguda, causada por um vírus que vive no intestino, denominado Póliovírus. Embora ocorra com maior frequência em crianças menores de quatro anos e ser comumente chamada de paralisia infantil, também pode ocorrer em adultos. 

Em geral, a paralisia se manifesta nos membros inferiores de forma assimétrica, ou seja, ocorre apenas em um dos membros. As principais características são a perda da força muscular e dos reflexos, com manutenção da sensibilidade no membro atingido.

Quais os sintomas da poliomielite?

O período de incubação varia de 5 a 35 dias, com mais frequência entre 7 e 14 dias.

Na maioria dos casos, a infecção pelo vírus da poliomielite pode ser assintomática. Isso não impede sua transmissão, pois é eliminado pelas fezes e pode contaminar a água e os alimentos.

Quando se manifestam, os sintomas variam de acordo com a gravidade da infecção.

Nas formas não paralíticas, os sinais mais característicos são febre, mal-estar, dor de cabeça, de garganta e no corpo, vômitos, diarreia, constipação, espasmos, rigidez na nuca e meningite. Na forma paralítica, quando a infecção atinge as células dos neurônios motores, além dos sintomas já citados, instala-se a flacidez muscular que afeta, em regra, os membros inferiores.

Como é transmitida a poliomielite?

Quanto mais precária a condição de vida de uma população, quanto maior a ausência de saneamento básico, falta de higiene, mais esta população estará exposta ao vírus da pólio.

A transmissão do vírus da poliomielite se dá através da boca, com material contaminado com fezes (contato fecal-oral), o que é crítico quando as condições sanitárias e de higiene são inadequadas. As crianças devem ser orientadas desde muito cedo a desenvolver hábitos saudáveis de higiene, como lavar as mãos, só beber água tratada etc.

O Póliovírus também pode ser disseminado por contaminação da água e de alimentos contaminados.

A multiplicação desse vírus começa na garganta ou nos intestinos, locais por onde penetra no organismo. Dali, alcança a corrente sanguínea e pode atingir o cérebro. Quando a infecção ataca o sistema nervoso, destrói os neurônios motores e provoca paralisia flácida em um dos membros inferiores. A doença pode ser mortal, se forem infectadas as células dos centros nervosos que controlam os músculos respiratórios e da deglutição.

OBS.: A falta de saneamento básico e de medidas adequadas de higiene é a principal causa de transmissão do vírus da poliomielite. A má qualidade da água utilizada para consumo e alimentos preparados sem os cuidados de higiene facilitam a proliferação dos diferentes tipos de póliovírus.

Existe tratamento para a poliomielite?

As sequelas da poliomielite estão relacionadas com a infecção da medula e do cérebro pelo poliovírus, normalmente correspondem a sequelas motoras e não tem cura. O foco do tratamento reside em diminuir a sensação de desconforto, evitar que o vírus continue se espalhando pelo corpo e garantir a qualidade de vida da pessoa infectada. O tratamento deve ser iniciado o quanto antes, para evitar complicações, mesmo porque, se uma pessoa infectada com o vírus não for atendida aos primeiros sinais da doença, ela estará sob maior risco de morte.

Forma de prevenção

A doença deve ser evitada através da vacinação contra a poliomielite. Paralelo a isto, medidas preventivas como programas de saneamento básico, são essenciais. 

Durante o evento houve várias perguntas aos palestrantes que tiraram as dúvidas dos presentes.

Fotos Abaixo: Isabella Marvila e Bianca Aguiar