3º GUERRA MUNDIAL BATE A NOSSA PORTA

A Coreia do Sul tem um plano para reduzir Pyongyang “a cinzas” caso haja sinais de um iminente ataque nuclear da Coreia do Norte, que na semana passada realizou seu quinto teste com armas atômicas e deixou o mundo em estado de alerta.

Segundo a agência “Yonhap”, que cita uma “fonte militar”, cada parte de Pyongyang seria “completamente destruída por mísseis balísticos e projéteis de elevado potencial explosivo”. De acordo com o mesmo informante, o ataque atingiria principalmente os bairros onde se acredita que estariam escondidos os líderes norte-coreanos.

“A cidade será reduzida a cinzas e sumirá do mapa”, acrescentou a fonte. Na última sexta-feira (9), o regime de Kim Jong-un realizou um teste nuclear que foi considerado por especialistas a maior explosão atômica desde a bomba de Hiroshima.

Até a China, principal parceira de Pyongyang, condenou a atividade militar. A Coreia do Norte já sofreu diversas sanções das Nações Unidas (ONU) nos últimos meses por conta de seus testes nucleares, mas nem isso foi suficiente para conter as ambições de Kim Jong-un. (ANSA)

Brasil sente tremor após teste nuclear na Coreia do Norte

Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (Obsis) registrou nessa quarta-feira (6) tremores causados pelo teste feito com a bomba de hidrogênio na Coreia do Norte. O teste nuclear teve uma potência equivalente a um terremoto de magnitude 5.1, segundo o chefe do Observatório, Lucas Barros.

Por meio de uma nota divulgada pelo Itamaraty, o governo brasileiro condenou “veementemente” o teste nuclear realizado nesta quarta-feira (6) pela Coreia do Norte, que diz ter utilizado uma bomba de hidrogênio.

No comunicado, Brasília afirma ter recebido com “grande preocupação” o anúncio de que Pyongyang havia detonado um novo artefato atômico. Segundo a nota, o teste “constitui clara violação às resoluções pertinentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas”.

“O Brasil conclama a RPDC (República Popular da Coreia do Norte) a cumprir plenamente suas obrigações perante as Nações Unidas, a reintegrar-se o mais cedo possível ao Tratado de Não Proliferação Nuclear como Estado não nuclearmente armado e a assinar e ratificar o Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares, observando estritamente, nesse ínterim, a moratória de testes nucleares”, afirma o Itamaraty.

O governo brasileiro ainda insta o país asiático a retornar as negociações para fortalecer a paz e a segurança na península coreana.

naom_56b4742d24bc9

Faça o seu comentário