Senado aprova abertura do processo de impeachment de Dilma por 55 votos a 22. Derrota esmagadora do governo petista obriga Dilma a ser afastada do cargo de presidente da República por 180 dias

presidente dilma

Após quase um dia inteiro de discursos, acompanhados com ansiedade pela população brasileira, o Senado Federal aprovou a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, na manhã desta quinta-feira (12). Com a derrota, a petista será agora afastada por até 180 dias, período em que o vice Michel Temer assume o cargo.

A derrota esmagadora, por 55 votos contra 22, ocorreu em uma Casa com a presença de 71 dos 81 senadores. A sessão, iniciada às 10h do dia anterior, durou 20 horas. No total, 69 parlamentares discursaram ao longo do período.

Com a aprovação, o processo retorna para a Comissão Especial do Impeachment do Senado, que iniciará a fase de instrução, coletando provas e ouvindo testemunhas de defesa e acusação sobre o caso.

O objetivo é apurar se a presidente cometeu crime de responsabilidade ao editar decretos com créditos suplementares mesmo após enviar ao Congresso Nacional um projeto de lei para revisão da meta fiscal, alterando a previsão de superávit para déficit.

A comissão também irá apurar se o fato de o governo não ter repassado aos bancos públicos, dentro do prazo previsto, os recursos referentes ao pagamento de programas sociais, com a cobrança de juros por parte das instituições financeiras, caracteriza uma operação de crédito. Em caso positivo, isso também é considerado crime de responsabilidade com punição de perda de mandato.

Um novo parecer, com base nos dados colhidos e na defesa, será elaborado em prazo de 10 dias pela comissão especial. O texto será novamente submetido a votação pelo plenário da Casa, independente do resultado. O grupo seguirá sob comando do senador Raimundo Lira (PMDB-PB) e com relatoria de Antonio Anastasia (PSDB-MG).

Veja fotos da votação que aprovou a abertura do impeachment de Dilma:

Em pronunciamento, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP). Foto: Jane de Araújo/Agência Senado - 11.05.2016
Senador Lindembergh Farias (PT-RJ) concede entrevista durante o primeiro intervalo da sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma no Senado. Foto: Jane de Araújo/Agência Senado - 11.05.2016
 
A senadora Ana Amélia (PP-RS) foi a primeira inscrita para fazer pronunciamento na sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Jane de Araújo/Agência Senado - 11.05.2016
A senadora Ana Amélia (PP-RS) foi a primeira inscrita para fazer pronunciamento na sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Jane de Araújo/Agência Senado - 11.05.2016
O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) comanda a sessão deliberativa que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Jane de Araújo/Agência Senado - 11.05.2016
O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) comanda a sessão deliberativa que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Jane de Araújo/Agência Senado - 11.05.2016
O senador Telmário Mota (PDT-RR) cumprimenta o senador Raimundo Lira (PMDB-PB), presidente da Comissão Especial do Impeachment no Senado. Foto: Jane de Araújo/Agência Senado - 11.05.2016
À frente do Senado, o 1º secretario senador Vicentinho Alves (PR-TO), o presidente da Casa senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e o senador Blairo Maggi (PR-MT). Foto: Pedro França/Agência Senado - 11.05.2016
As senadoras Gleisi Hoffman (PT-PR) e Vanessa Grazzioton (PCdoB-AM) são contrárias à abertura do processo de impeachment e questionaram o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) a parcialidade com que foram conduzidos os trabalhos da Comissão Especial. Foto: Pedro França/Agência Senado - 11.05.2016
Senado Federal vota hoje a admissibilidade do processo de impeachment de Dilma Rouseff e, consequentemente, seu afastamento do cargo por até 180 dias. Foto: Pedro França/Agência Senado - 11.05.2016
Senador Raimundo Lira (PMDB-PB) , presidente da Comissão Especial de Impeachment no Senado, durante sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma. Foto: Pedro França/Agência Senado - 11.05.2016
O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) concede entrevista antes de dar início à sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma. Foto: Jane de Araújo/Agência Senado - 11.05.2016
Na bancada, o senador Waldemir Moka (PMDB-MS) e a senadora Marta Suplicy (PMDB-SP). Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
O senador Lindembergh Farias (PT-RJ) conversa com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) dá início à sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
Em pronunciamento, a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR), durante a sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) dá início à sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
À frente do Senado, durante a sessão deliberativa que vota a admissibilidade do processo de Impeachment, o presidente da Casa Renan Calheiros (PMDB-AL) e os senadores Magno Malta (PR-ES), Vicentinho Alves (PR-TO) e Blairo Maggi (PR-MT). Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
Senador Cassio Cunha Lima (PSDB-PB) levanta questão de ordem antes do início da sessão deliberativa que vota o afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
Em pronunciamento na sessão deliberativa, o senador José Agripino (DEM-RN).. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
Em pronunciamento, senador Sérgio Petecão (PSD-AC). Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
O relator da Comissão Especial do Impeachment senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) conversa com o senador Aécio Neves (PSDB-MG) durante sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
No painel, a ordem dos senadores inscritos para falar antes do início da votação que decidirá a admissibilidade do processo de impeachment no Senado. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) dá início à sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
As senadoras Lídice da Mata (PSB-BA), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) durante a sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
Senadora Vanessa Grazzioton (PCdoB-AM) em pronunciamento durante a sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
Em pronunciamento, o senador Lindembergh Farias (PT-RJ) questiona a condução da Comissão Especial do Impeachment no Senado . Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
Em pronunciamento, a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR), durante a sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), relator da Comissão Especial do Impeachment no Senado, durante a sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), relator da Comissão Especial do Impeachment no Senado, conversa com a senadora Ana Amélia (PP-RS) durante a sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) dá início à sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
Durante a sessão deliberativa que vota o afastamento da presidente Dilma Rouseff, os senadores Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) e Otto Alencar (PSD-BA) conversam na bancada; ao fundo, os senadores Flexa Ribeiro (PSDB-PA) e Antonio Anastasia (PSDB-MG), autor do relatório da Comissão Especial do Impeachment no Senado. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
O relator da Comissão Especial do Impeachment senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) e o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) durante sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
Na bancada, o presidente do Senado Renan Calheiros e os senadores Cassio Cunha Lima (PSDB-PB) e Blairo Maggi (PR-MT). Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
Presidente do Senado Federal Renan Calheiros (PMDB-AL) cumprimenta a senadora Vanessa Gazziotin (PCdoB-AM). À direita da mesa, o senador Blairo Maggi (PR-MT). Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
Senadores Vicentinho Alves (PR-TO) e Magno Malta (PR-ES) durante a sessão deliberativa extraordinária que vota a admissibilidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rouseff. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado - 11.05.2016
 
 

 

Faça o seu comentário