Com o objetivo de reduzir a violência no trânsito, operação conta com apoio da Presidência da República, Casa Civil e dos Ministérios das Cidades, Saúde e Transportes
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) inicia a Operação Integrada Rodovida Cidades 2016/2017, com apoio de diversos órgãos, na sexta-feira (16). A ação tem por objetivo prevenir acidentes e diminuir a violência no trânsito, durante o período de fim de ano, férias escolares e Carnaval, quando o movimento de veículos é intenso.
Ocorrendo simultaneamente em todo o Brasil entre dezembro e março, a Rodovida tem como prioridade a atuação em pontos críticos das rodovias federais. Esses pontos foram elencados através de análises de dados estatísticos da PRF que apontam trechos com maior necessidade de reforço na fiscalização.
Principal ação de enfrentamento à violência no trânsito brasileiro, a operação reúne desde 2011 as três instâncias de governo em ações simultâneas com objetivo de reduzir o número de vítimas de acidentes e faz parte do Pacto Nacional pela Redução de Acidentes, criado em 2011 em resposta à decisão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que proclamou o período de 2011 a 2020 como a Década Mundial de Ação pela Segurança do Trânsito.
A PRF conta com a parceria de órgãos vinculados aos Ministérios das Cidades, Saúde e Transportes. Nos estados, ações integradas com órgãos estaduais e municipais serão desencadeadas durante toda a operação.
Foco
A PRF tem como prioridade o combate às infrações de trânsito relacionadas ao excesso de
velocidade, embriaguez ao volante e ultrapassagens proibidas. Além dessas infrações, o uso correto de equipamentos como cinto de segurança, cadeirinhas para crianças e capacetes para motociclistas também é alvo da fiscalização do órgão, pois são fundamentais para reduzir os traumas causados em um acidente ou, até mesmo, evitá-los.
Além da fiscalização intensificada, atividades permanentes de educação para o trânsito são desenvolvidas com foco nos comportamentos de risco para que a sensibilização produza mudança de comportamento e, consequentemente, um trânsito mais seguro.
Custo Social
Estima-se que o custo social de acidentes em rodovias federais no ano de 2014 foi de cerca de 12,8 bilhões de reais, de acordo com levantamentos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e da PRF. O resultado da pesquisa aponta que um acidente com morte gera um custo médio de R$ 647 mil, enquanto o acidente com vítima gera um custo de R$ 90 mil. Os acidentes sem vítimas ficam em R$ 23 mil. A análise dos custos sociais mostra a importância das ações que têm por objetivo reduzir os índices de letalidade no trânsito.
Segundo a diretora-geral da PRF, Maria Alice Nascimento, o trabalho realizado pelo órgão contribuiu para a redução do número de mortos por acidentes de trânsito nas rodovias federais, gerando uma redução estimada na tendência equivalente à R$ 6,8 bilhões de reais nos últimos quatro anos. “Esse foi um resultado extremamente significativo, pois demonstra que o trabalho com diagnóstico é importante. Utilizando os recursos humanos e as tecnologias em locais estratégicos, conseguimos reduzir o número de mortes no país e quantificar isso é muito importante para nós”, destacou.
Rio de Janeiro
A ação de lançamento será realizada na Ponte Rio-Niterói (BR-101), na praça de pedágio, às 10h, na sexta-feira (16). Haverá uma blitz educativa com a participação da PRF, da ‘Operação Lei Seca’ do Governo do Estado do Rio de Janeiro, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, além das concessionárias.
Os locais onde devem ocorrer fiscalizações simultâneas no estado do Rio de Janeiro devem ser, principalmente, nos pontos de confluências das rodovias federais, estaduais e vias municipais. A Região Metropolitana do Rio e a Baixada Fluminense concentram a maior parte dos acidentes, entretanto os mais graves costumam ocorrer nos trechos de rodovias com pista simples ou em locais onde os veículos chegam a velocidades mais altas. Haverá fiscalizações conjuntas na capital e municípios do interior.
Serão realizadas ações educativas, fiscalizações com ‘bafômetros’, radares, entre outras. Para isso, a PRF utilizará viaturas, motocicletas, um ônibus multi-missão e uma aeronave de asas rotativas, sempre em parceria com os órgãos estaduais e municipais, com apoio das concessionárias. A ‘Operação Lei Seca’ do Rio de Janeiro contribui para a redução da violência no trânsito através da fiscalização, educação e sensibilização dos motoristas, passageiros e pedestres quanto aos riscos de uma conduta perigosa como a combinação álcool e trânsito. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar também atuam em diversas frentes para a diminuição dos acidentes ocasionados pela imprudência de motoristas no período de festas. A PRF deverá realizar ações com o ‘Cinema Rodoviário’, no qual os condutores e passageiros de veículos abordados são convidados a participar de rápidas palestras e assistir à imagens e vídeos educativos.

Faça o seu comentário