Os dados são do 14º Boletim Epidemiológico apresentado nesta sexta-feira (09/04) pelo Prefeito Eduardo Paes

O município do Rio apresenta queda na curva de atendimentos de urgência e emergência para os casos de síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave. Os dados foram apresentados na manhã, desta sexta-feira (09/04), durante a reunião do 14º Boletim Epidemiológico apresentado pela Prefeitura.

A alta na procura pela rede básica de saúde, que começou a ser registrada no início de fevereiro, foi o motivo que levou o prefeito Eduardo Paes (democratas) a implementar medidas de restrição mais rígidas desde o dia 26/03 na cidade. Diante da reversão nos números, entraram em vigor, nesta sexta-feira, algumas flexibilizações como a permissão para a volta do atendimento presencial em bares, restaurantes, lanchonetes e quiosques das praias, até as 21h.

No entanto, de acordo com o Prefeito, mesmo com a flexibilização de algumas medidas, ainda não é o momento de a população relaxar. A fiscalização permanecerá sendo rígida.

“A gente hoje tem o relaxamento de algumas restrições. Vai ter gente que vai dizer, acabou vamos para a festa. Não. Nós continuamos com um índice de contaminação alto. Continuamos com problemas e risco muito alto. As regras colocadas a partir de hoje são regras bastante restritivas. Tem toque de recolher com pessoas proibidas de estarem nas vias públicas das 11 da noite às 5 da manhã. As regras para bares e restaurantes, comércio e shoppings são muito restritivas. A Secretaria de Ordem Pública vai agir com muito rigor e com muita energia contra aqueles que não respeitarem as regras”, afirmou Paes.

Paes também esclareceu que o período de 14 dias de medidas mais restritivas, que incluiu a parada emergencial de 10 dias, composto por antecipação de feriados e dois fins de semana, foi imprescindível para a queda dos índices na cidade.

Esse é o resultado dos 14 dias de restrições. Esse é o resultado daqueles que respeitaram. Essa é uma resposta contundente para aqueles que acham que restrição não serve para nada. A gente sabe que não dá para fechar a cidade inteira, usando a expressão lockdown, a realidade infelizmente não nos permite isso, mas toda vez que a gente diminui o contato entre as pessoas, diminui festinha e aglomeração, esse é o resultado”, disse o prefeito.

Mesmo com a melhora nos índices de atendimentos de urgência e emergência, relacionados à Covid-19, Paes algumas restrições permanecem mantidas como a de realização de shows em casas de espetáculos, fechamento das boates e suspensão do trabalho de ambulantes nas ruas. O Prefeito ainda afirmou que se os dados novamente voltarem a subir, as medidas de restrições podem voltar a ser mais rígidas.

Fonte: Diário do Rio