A Prefeitura Municipal de Seropédica, através da Secretaria Municipal do Ambiente e Agronegócios (SEMAMA) iniciou em maio, a 1º etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa do rebanho de bovinos e bubalinos do município. Serão vacinados em torno de 5.000 animais em 114 propriedades com rebanho de até 50 animais.

“A Prefeitura Municipal de Seropédica através da Secretaria de Ambiente e Agronegócios, coloca a disposição dos pecuaristas do município, Veterinários cadastrados no serviço oficial de defesa sanitária para emissão de receituário para aquisição de vacinas  e aplicação do produto. Os interessados deverão buscar maiores informações na Secretaria de Ambiente e Agronegócios no Posto Agropecuário, localizada na Av. Ministro Fernando Costa nº 1000, no prédio da Caixa Econômica Federal e pelo tel. 3787-8876 ” destaca o Prefeito Martinazzo.

Os trabalhos sob a coordenação do Subsecretário de Agronegócio Veterinário Elineu de Souza foi acompanhado pela Veterinária Dra. Sabrina do Núcleo de Defesa Animal do RJ. Do agrônomo Ernane Gomes da SEMAMA e equipe de vacinadores.

“A comprovação da imunização dos animais é sempre exigida para a emissão da GTA (Guia de Transporte Animal) nos deslocamentos de animais, além disso, evita penalidades previstas na lei como multa e interdição da propriedade”. Destaca o Secretario de Meio Ambiente e Agronegócios Ademar Quintela.

A Transmissão
A doença é transmitida principalmente pelo contato entre animais doentes e sadios. Mas o vírus também pode ser transportado pela água, ar, alimentos, pássaros e pessoas (mãos, roupas e calçados) que entraram em contato com os animais doentes. (Cruzamento de cavalo e jumenta).

Os sintomas
Os principais sintomas são febre, vesículas e úlceras na boca, patas e nas tetas, perda de apetite, salivação e manqueira. Ocorre também redução da produção leiteira, perda de peso, crescimento retardado e menor eficiência reprodutiva. Pode haver mortes principalmente em animais jovens ou debilitados.

Suspeita da doença
É obrigatório que o produtor notifique a Secretaria de Ambiente e Agronegócios quando observar esses sintomas em seus animais.

Ainda de acordo com o secretário de Ambiente e Agronegócios Ademar Quintela, a preocupação com esta doença é de ordem econômica, uma vez que o gado doente tem que ser abatido por completo para não prejudicar produtores vizinhos com a transmissão da doença. “Caso seja comprovado este gado não tiver sido vacinado, além do gado ser abatido o produtor responsável receberá uma multa”, completou o secretário.

5709c19f-11cf-43a5-81c0-78d6953adba4
Produtor Valdir Timóteo e esposa do jardim maracanã o Técnico Juarez do núcleo de defesa do RJ, o Veterinário Elineu, e a Veterinária Dra. Sabrina do Núcleo de Defesa Animal do RJ 

4e74de49-eef2-4660-8aeb-4661a528bafa 5a768ce8-0511-421a-acdf-f263a1a33ae8 19eb98b6-b8e7-4bce-a292-0c5f924a3b97 47bfd69b-8c70-425e-ab7f-08f851574f59 b3e127c9-30a9-4a0a-baf0-62ecaf7ad0cb d2ea01db-c679-413c-b085-b575438cdd88

 

Faça o seu comentário