PREFEITURA DE SEROPÉDICA E GOVERNO DO ESTADO REALIZAM CADASTRAMENTO DE ARTESÃOS DO MUNICÍPIO

Para algumas pessoas o artesanato é uma terapia, para outras uma profissão que leva o pão para casa e sustenta a família. Mas muitas pessoas começam a produzir artesanato de brincadeira e acabam tornando-se profissionais no ramo da arte. Pensando nisso a Prefeitura de Seropédica, através da Secretaria de Trabalho e Emprego, em parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca (Sedrap), realizou nesta terça-feira (27) o cadastramento dos artesãos de Seropédica.

 O prefeito Alcir Martinazzo ressaltou a importância do artesanato como fonte geradora de renda e fomento para o turismo e cultura local e nacional. “Estamos trabalhando para criar as condições necessárias para que nossos artesãos possam gerar renda com seu trabalho”, informou.

 De acordo com o prefeito Alcir Martinazzo o artesanato deve ser tratado como uma atividade chave para a geração de renda e emprego. “É importante garantir todos os direitos e garantias trabalhistas para os que vivem do artesanato”, comentou.

 O secretário de Trabalho e Emprego, Marcos Antonio Caetano de Souza, mais conhecido como Marquinho Seropédica, ressaltou a importância de se implementar políticas públicas para que o artesanato possa ser tratado como uma atividade comercial. “É necessário apoiar, qualificar e abrir portas para nossos artesões, pois isso significa renda para todos”, comentou.

 Inea Cristina Mariozz Coelho, chefe de Gabinete e coordenadora do Programa do Artesanato em Movimento da Sedrap, afirmou que o artesanato fluminense “nada fica a dever” ao produzido em outros estados. Ela também destacou o apoio da gestão municipal. “Precisávamos dessa parceria nos municípios e aqui em Seropédica o prefeito está fazendo isso, o que é benéfico para todos”, informou.

 A coordenadora destacou que o Programa de Artesanato do Estado do Rio de Janeiro tem como objetivo reconhecer o artesanato como atividade econômica geradora de desenvolvimento regional e como registro vivo da história local. “As ações do programa são: aumentar a qualificação dos artesãos, através de uma parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); mapear o artesanato regional, com criação de uma identidade para a atividade; concessão de microcrédito através de parceria com a Agência Estadual de Fomento (Agerio), com linhas especiais para o artesão investir no incremento de sua atividade”, explicou.

 Constam também do programa a comercialização dos produtos, através de participação em feiras e eventos, com ofertas de espaços aos artesãos cadastrados e a participação no “Espaço Artesanato em Movimento”, um ambiente voltado para a exposição e comercialização do trabalho dos inscritos. O espaço localiza-se em Botafogo, na Rua Real Grandeza, 293, e o telefone é (21) 2332-4900.

 Para o artesão Carlos Roberto de Souza, 45 anos, morador do Bairro Boa Esperança, o artesanato representa uma renda extra em seu orçamento. “Tenho o meu trabalho e faço o artesanato com fibra e reaproveitamento de materiais nas horas vagas e o que ganho com ele representa uma renda extra”, disse. Já a artesã Valéria Romano, moradora do Bairro Fazenda Caxias, conta que trabalha com artesanato há mais de 10 anos e que o cadastramento é uma grande oportunidade para os artesãos. “É um trabalho muito gratificante que me permite conhecer pessoas diferentes todos os dias. Possuo meu ateliê onde faço meus trabalhos e dou cursos de artesanato também, faço diversos tipos de artesanato, mas prefiro ensinar patch embutido”, conta.

 O cadastramento foi realizado no Centro de Atenção Integral a Criança e ao Adolescente (CAIC) Paulo Dacorso Filho, localizado à no KM 47 da BR 465, das 10h às 17h30.

DSC_0123 DSC_0124 DSC_0127 DSC_0128 DSC_0129 DSC_0130 DSC_0131 DSC_0132 DSC_0133 DSC_0134 DSC_0135 DSC_0137 DSC_0138 DSC_0140 DSC_0142 DSC_0143 DSC_0144 DSC_0145 DSC_0146

Faça o seu comentário