Evento teve participação de instituições de diferentes municípios

 Os cuidados com a alimentação saudável são essenciais à Saúde, os debates em torno do tema têm sido cada vez mais constantes, além deste assunto, atualmente, ser debatido em diferentes áreas de sociedade. Uma alimentação saudável também depende de uma ‘produção saudável’ dos alimentos, ou seja, deve-se levar em consideração a forma e as condições de produção dos alimentos.

Na última semana Seropédica recebeu o 1º Seminário Intermunicipal da Alimentação Escolar e Agricultura Familiar, que aconteceu no Centro de Atenção Integral à Criança (Caic) Paulo Dacorso Filho, no bairro Ecologia. O evento foi organizado pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRuralRJ) e pelo Conselho de Segurança Nutricional e Alimentar de Seropédica (Consea-Seropédica/RJ), e teve apoio da Empresa Júnior de Economia Agrária (Ceres Jr.) da UFRuralRJ e da Prefeitura de Seropédica, por meio da Semama, além das participações de representantes de outras instituições.

Investir na Agricultura Familiar é impulsionar a economia de Seropédica, além de garantir o acesso de nossa população a alimentos de qualidade, sem agrotóxicos, produzidos no próprio município. A Prefeitura tem apoiado e participado de iniciativas que visem melhorar o sistema de produção de alimentos em Seropédica, afinal, temos em nosso território importantes instituições em relação à área de segurança alimentar, e estamos trabalhando em parceria com essas entidades”, esclareceu o prefeito de Seropédica, Alcir Martinazzo.

A cerimônia de abertura do seminário foi realizada pela diretora do Caic, Carmen Frade, mesa diretora do evento formou-se com as presenças da presidente do Consea-Seropédica/RJ, Lúcia Gomes, da professora da UFRuralRJ, Valéria Tolentino, e do Prof°. Bruno Garbocci, da Smasdhte, que representou o prefeito de Seropédica, Alcir Martinazzo.

Esse seminário nasceu das reuniões do Consea a respeito das perspectivas de fornecimento local de alimentação, sobretudo em debates com os agricultores de Seropédica sobre as dificuldades de implementação de Políticas Públicas que beneficiem a produção de alimentos, o que se refletirá na qualidade dos alimentos. Que possamos evoluir a partir daqui”, disse Valéria Tolentino.

Por ser um debate atual, este assunto tem sido debatido com constância no município de Seropédica por instituições como a UFRuralRJ, através de sua Pró-reitoria de Extensão (Proext), do Consea-Seropédica/RJ, e da Prefeitura de Seropédica, por meio das secretarias municipais de Ambiente e Agronegócios (Semama), de Assistência Social, Direitos Humanos, Trabalho e Emprego (Smasdhte), e de Educação, Cultura e Esporte (Smece), por intermédio do setor de Nutrição.

A UFRuralRJ tem como projetos, apoiados pela Prefeitura de Seropédica, a realização da Feira da Agricultura Familiar e do Programa de Aquisição Alimentar, que compra alimentos dos produtores rurais de Seropédica. “Seguindo nosso exemplo, outras Universidades Federais estarão aderindo a iniciativas semelhantes. Temos 45 agricultores envolvidos na Feira de Agricultura Familiar, para participar da Feira, basta apenas ter o certificado de agricultor familiar. Queremos modificar o modo de produção para valorizar ainda mais os produtos”, afirmou Igor Pinheiro, engenheiro agrônomo e um dos coordenadores do PAA.

As ações da Prefeitura, especificamente, visam atender a dois públicos distintos: os produtores rurais, sobretudo àqueles que realizam a Agricultura Familiar; e os profissionais de área de Nutrição Escolar que fazem parte da Administração Pública Municipal no âmbito da alimentação escolar.

Temos em média 300 agricultores familiares em Seropédica, alguns vendem seus produtos ao Ceasa, outros em Feiras específicas ou a intermediários, agora estamos estudando a possibilidade dos agricultores direcionarem seus alimentos à UFRuralRJ por meio do PAA. Estamos realizando reuniões para amadurecermos o projeto e ambientarmos os produtores com as documentações necessárias, como a Declaração de Aptidão ao Pronaf (Daf), e às novas alternativas de comercialização”, explicou Patrícia Fernandes, representante da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro.

Também participaram do Seminário, como palestrantes, o Prof°. Kramer, da Universidade Federal Fluminense (UFF), Kelly Gonzaga, do Consea/RJ, Bárbara Brandt, da Emater/Seropédica, além de Shirlene Barbosa e o Prof°. Márcio Vianna, ambos da UFRuralRJ.

dsc_0003 dsc_0004 dsc_0005 dsc_0006 dsc_0007 dsc_0010 dsc_0012 dsc_0015 dsc_0016 dsc_0017 dsc_0018 dsc_0020 dsc_0022 dsc_0024 dsc_0027 dsc_0028 dsc_0029 dsc_0032 dsc_0052 dsc_0053 dsc_0066 dsc_0067 dsc_0068 dsc_0069 dsc_0071 dsc_0082 dsc_0083 dsc_0086