Projeto sobre núcleo de agroecologia no Rio de Janeiro recebe sinal verde do CNPq

a

Ana Lucia Ferreira - Fazendinha Agroecológica Km 47, em Seropédica/RJ: exemplo de agricultura sustentável

Fazendinha Agroecológica Km 47, em Seropédica/RJ: exemplo de agricultura sustentável

O projeto Núcleo de Agroecologia: estratégias para integração entre pesquisa, extensão e ensino no Estado do Rio de Janeiro foi aprovado na chamada Sistemas Orgânicos de Produção de Base Agroecológica, do CNPq e do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). O objetivo da iniciativa é agregar dez instituições do Estado, como a Associação de Agricultores Biológicos (ABIO), a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), a Embrapa e a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio de Janeiro (Pesagro-RJ), dentre outras, para discutir e interagir sobre temas agroecológicos.

O núcleo do Rio de Janeiro será liderado pelo pesquisador da Embrapa Agrobiologia (Seropédica/RJ) José Antônio de Azevedo Espíndola e será efetivado no início de 2015, com previsão para duração de dois anos. Para o pesquisador, os ganhos do projeto estão na troca de conhecimentos entre as instituições e a coletividade. “Assim que houver a liberação do recurso, vamos discutir com os parceiros estratégias para a integração, como reuniões e visitas aos agricultores”, diz.

De acordo com o pesquisador, a intenção é beneficiar todos os envolvidos, mas principalmente os agricultores. “O projeto também tem importância estratégica para a Embrapa, já que ajudará a trazer as demandas do campo para fomentar pesquisas futuras. Não é uma proposta em que atuaremos sozinhos”, frisa José Espíndola.

Além das instituições já citadas, também participam do projeto a Agribio Serviços, Indústria e Comércio de Defensivos Alternativos, a Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa (AS-PTA), a Cooperativa de Trabalho, Consultoria, Projetos e Serviços em Sustentabilidade (Cedro), o Colégio Técnico da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (CTUR), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio de Janeiro (Emater-Rio) e o Polo Regional de Desenvolvimento dos Agronegócios do Vale do Paraíba, vinculado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA).

As ações a serem desenvolvidas dentro do projeto estão integradas ao Plano Nacional de Inovação e Formação do MDA, baseado na Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (PNATER), na Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (PNAPO) e no Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo).

Sobre o Planapo – Lançado em outubro de 2014, pelo governo federal, o Planapo abrange um conjunto de 125 iniciativas atualmente em implementação por meio de dez Ministérios, sob a coordenação do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). É estruturado em quatro eixos: produção; uso e conservação de recursos naturais; conhecimento; e comercialização e consumo.

 

Ana Lucia Ferreira (MTb16913/RJ)
Embrapa Agrobiologia

Telefone: (21) 3441-1500

Colaboração: Glauco Lessa (estagiário de Jornalismo)
Embrapa Agrobiologia

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Faça o seu comentário