As obras de restauro do edifício que fica na esquina da rua Corrêa Dutra revelaram a placa de mármore com a assinatura do arquiteto Joseph Gire, o mesmo do Copacabana Palace e do Edifício A Noite.

Nós já contamos a história do belíssimo e quase centenário Edifício Guinle aqui no DIÁRIO. Projetado pelo cultuado arquiteto francês Joseph Gire e inaugurado em 1925, o prédio Praia do Flamengo foi encomendado pelo empresário Octávio Guinle, que queria uma construção bem ao estilo parisiense com telhado em mansardas renascentistas.

Foi Gire o autor de alguns dos prédios mais bonitos do Brasil, como os Hotéis Copacabana Palace e Glória, o Edifício A Noite, e a sede do Iate Clube do Rio de Janeiro, além do Palácio Laranjeiras. Muito celebrado, foi o autor também de mais dois prédios na Praia do Flamengo, o Paraopeba e o São João Marcos.

O Edifício Guinle fica bem na esquina com a rua Corrêa Dutra, e é considerada uma jóia da arquitetura. Neste momento, está passando por uma mega reforma – ou melhor, um grande e criterioso restauro – de fachada, conduzido pelo condomínio. Sua fachada é rica em detalhes, afrescos, grades trabalhadas em ferro batido e janelas originais que abrem e fecham com precisão milimétrica.

Esta semana noticiamos que o famoso Edifício Lellis, na avenida Atlântica, encontrou um ‘tesouro escondido’ durante uma obra que realizava em sua marquise. O tesouro era uma grade que estava escondida há mais de 50 anos, e, ao descobri-la, o condomínio decidiu restaurá-la e inspirou-se a buscar mais informações sobre a sua fachada original, terminando por mandar reproduzir os majestosos portões de entrada originais segundo o projeto original de outro célebre arquiteto, o ex-prefeito de São Paulo, Christiano Stockler das Neves. O resultado cativou passantes e frequentadores de Copacabana.

Agora, foi o Edifício Guinle a encontrar um tesouro escondido há décadas. Durante o restauro de sua fachada, conduzido já há alguns meses com um esmero incomum para as obras de condomínios, a equipe de restauração descobriu a placa de mármore com as inscrições dos nomes do arquiteto e construtora responsáveis pela construção: J. Gire e Construtora Pederneiras. A placa estava encoberta sob grossas camadas de massa e tinta.

A Placa em Mármore, com o nome do “ARCHITECTO” e do “CONSTRUCTOR” foi descoberta pela equipe de restauro que vem trabalhando há meses na fachada do badalado edifício Guinle. (Foto: Grupo SOS Patrimônio, no Facebook, postada por Ronald Goulart).

A fachada do edifício sempre atraiu os passantes e frequëntadores da região, principalmente do aterro do Flamengo. Os apartamentos no Guinle tem cerca de 240 metros quadrados e são procurados. “Há fila de espera“, dispara Dirceu Marmo, Diretor Regional da Sergio Castro Imóveis no Flamengo e Laranjeiras, que complementa: “agora, com o restauro, esperamos que a procura aumente mais ainda. Temos um apartamento que está em vias de ser colocado à venda aqui na imobiliária, e antes mesmo de anunciarmos, já temos recebido telefonemas de curiosos”.

O Condomínio deverá recuperar a placa e dar a ela o destaque que merece na história do prédio e da arquitetura de nossa cidade. Como curiosidade, desde 2014 uma lei municipal obriga todas as edificações construídas na cidade do Rio de Janeiro a expor, em suas fachadas ou áreas comuns, o nome do arquiteto responsável pelo projeto, retomando uma prática que era comum no passado.

Fonte: Diário do Rio