Maduro lembrou que o presidente Barack Obama reconheceu que a Venezuela é um país de paz, mas disse que isso não é suficiente, e pediu a revogação do decreto publicado pelos Estados Unidos em março

presidente venezuela

Durante o discurso na Assembleia Geral da Organização das Nações Umidas (ONU), em Nova York, o presidente da Venezuela Nicolás Maduro disse que seu país sofre enfrentamentos. O maior deles, segundo o presidente, foi a decisão dos Estados Unidos de considerar a Venezuela uma ameaça à segurança nacional.

Maduro lembrou que o presidente Barack Obama reconheceu que a Venezuela é um país de paz, mas disse que isso não é suficiente, e pediu a revogação do decreto publicado pelos Estados Unidos em março.

O presidente afirmou que “enfrenta desafios para construir um novo modelo social e econômico, eminentemente venezuelano, inspirado em Simón Bolivar”. Sobre os conflitos na fronteira com a Colômbia, Maduro disse que tem conversado com o presidente do país vizinho para definir uma agenda de trabalho.

“Conjuntamente com o presidente Juan Manuel Santos, definimos um caminho para esclarecer provocações, ameaças e ataques de paramilitares e narcotraficantes contra a Venezuela. Eu posso dizer que tenho grande esperança de que vamos voltar a estabelecer uma relação de trabalho e comunicação com o governo da Colômbia”,

Ainda sobre a América Latina e o Caribe, Nicolás Maduro pediu o fim do embargo financeiro, econômico e comercial imposto a Cuba pelos Estados Unidos e a devolução do território onde os norte-americanos mantém a base naval e prisão militar de Guantánamo. O presidente da Venezuela fez também um apelo por uma nova aliança geopolítica para evitar uma intervenção na Síria e proteger a população daquele país. Com informações da Agência Brasil.