O canal terá 20 dias para readmitir os profissionais, caso contrário, arcará com uma pena diária de R$ 500 por funcionário

Na última terça-feira (16), a 44ª Vara de Trabalho do Rio de Janeiro determinou que a Record recontrate os 600 funcionários demitidos durante o processo de arrendamento do RecNov, em 2015.

Segundo o ‘Notícias da TV’, na decisão também há uma proibição a emissora de promover novas demissões em massa. O canal terá 20 dias para readmitir os profissionais, caso contrário, arcará com uma pena diária de R$ 500 por funcionário. A sentença cabe recurso.

A juíza Joana de Mattos Colares atendeu o pedido de tutela antecipada da ação movida pelo Sindicato dos Radialistas do Rio, e também acatou a reivindicação do Ministério Público do Trabalho, que classificou o alto número de desligamentos como ilegal.

A Record afirmou passar por um momento de crise e que as suas atividades no RecNov estão sendo encerradas, o que para a juíza não procede.

Para a magistrada, em casos como este, é necessária a realização de reuniões com os sindicatos.“É incontestável que esse tipo de dispensa massiva, quando procedida sem que sejam adotadas certas cautelas, gera grande repercussão no meio social, por privar grande quantidade de trabalhadores de verbas de natureza alimentar, o que acaba por onerar, indiretamente, a Seguridade Social, através da utilização de recursos destinados à Previdência Social, e mesmo à Assistência Social”, ressaltou.

Ainda conforme a publicação, o julgamento pode atrapalhar os planos da Record de dar continuidade ao processo de terceirização do complexo de estúdios e tumultuar ainda mais as gravações da segunda temporada de “Os Dez Mandamentos”. No ano passado, o canal transferiu a produção de novelas e do programa de Xuxa Meneghel para a Casablanca.

demissões record