Goleiro participou da primeira partida fora de casa pelo Boa Esporte.

Minas Gerais – Ovacionado na estreia pelo Boa Esporte, o goleiro Bruno não terá das equipes rivais a mesma receptividade do clube que defende, após ficar sete anos preso por conta da morte de Eliza Samúdio. Na última quarta-feira, o jogador realizou a sua primeira partida fora de casa, na Série B do Campeonato Mineiro, e foi hostilizado pela torcida do Patrocinense. Bruno ainda relatou ter sido atingido por uma barra de ferro. A partida terminou com um empate sem gols.

Segundo o goleiro, a agressão teria acontecido aos 18 minutos do primeiro tempo, logo após Bruno faz uma boa defesa na cabeçada de Quilder. O arqueiro discutiu com alguns jogadores e acabou sendo supostamente atingido. A Federação Mineira de Futebol (FMF) requisitou que o torcedor que arremessou a barra de ferro fosse identificado e retirado imediatamente da torcida.

O goleiro continou sendo hostilizado, principalmente em momentos em que participou da partida. Após o jogo, Bruno não deu entrevistas. Na súmula, o árbitro da partida, Émerson de Almeida Ferreira, relatou na súmula que o goleiro entregou o objeto, mas disse não ter visto se ele foi atingido ou não.

Confira o que foi dito na súmula:

“Informo que aos 18 minutos do primeiro tempo quando o jogo se encontrava paralisado, o goleiro da equipe do Boa Esporte Clube sr. Bruno Fernandes das Dores de Souza , me apresentou um vergalhão de ferro de aproximademente 30cm dizendo que o mesmo havia sido arremessado dentro do campo de jogo por torcedores da equipe do Clube Atletico Patrocinense que se encontravam atras de sua meta (fato este que nao foi observado por nenhum membro da equipe de arbitragem, representante e delegado da partida que se encontravam em campo de jogo).”

 
Edição de matérias sobre Seropédica e atualidades.

Comentários