O Padre Jefferson Silva Oliveira, Pároco da Paroquia Maria Mãe da Igreja fala sobre o Dia da Bíblia e sua importância em nossa vida. O mês de setembro chega trazendo a Primavera em nosso hemisfério e, junto com a beleza do tempo, o tema da Sagrada Escritura. O fato de celebrarmos, no dia 30 de setembro, o dia do patrono dos estudos bíblicos, São Jerônimo, fez com que pudéssemos aprofundar esse tema durante este mês. Setembro é o mês da Bíblia, sendo que no último domingo comemora-se o Dia Nacional da Bíblia.

Durante sua homilia o Padre Jefferson falou também sobre a parábola do Rico e do Pobre quando morreram:

Havia um homem rico que se vestia de púrpura e linho fino e que fazia diariamente brilhantes festins. Um pobre chamado Lázaro jazia coberto de úlceras no pórtico de sua casa. Ele bem que gostaria de saciar-se do que caía da mesa do rico; mas eram antes os cães que vinham lamber suas úlceras. 

O pobre morreu e foi levado pelos anjos para um lugar da honra junto de Abraão; o rico morreu também e foi enterrado. Na morada dos mortos, em meio às torturas, ergueu os olhos e viu ao longe Abraão com Lázaro a seu lado. Ele exclamou: “Abraão, meu pai, tem compaixão de mim e manda que Lázaro venha molhar a ponta do dedo na água para me refrescar a língua, pois eu sofro um suplício nestas chamas”.  Abraão lhe disse: “Meu filho, lembra-te de que recebeste tua felicidade durante a vida, como Lázaro a infelicidade; e agora, ele encontra aqui a consolação, e tu, o sofrimento. Além disso, entre vós e nós foi estabelecido um grande abismo, para os que quisessem passar daqui para vós não o possam e que também de lá não se atravesse até nós”.

O rico disse: “Eu te rogo, então, pai, que envies Lázaro à casa de meu pai,  pois eu tenho cinco irmãos. Que ele os advirta para que não venham, também eles, para este lugar de tortura”. Abraão lhe disse: “Eles têm Moisés e os profetas, que os ouçam”. O outro replicou: “Não, meu pai Abraão, mas se alguém dentre os mortos for a eles, converter-se-ão”. Abraão lhe disse: “Se eles não escutam Moisés nem os profetas, mesmo que alguém ressuscite dos mortos, não ficarão convencidos”.

“Com esta narrativa, Jesus pretendia repreender as classes dominantes judaicas, muito especialmente os fariseus, “que eram gananciosos”  Os saduceus que faziam pouco caso da esperança messiânica e não acreditavam na ressurreição e os escribas que impunham fardos pesados e difíceis de serem suportados, presos às suas tradições. Os relatos bíblicos indicam que os escribas e fariseus julgavam-se mais dignos do favor divino e por isso foram considerados os mais desgraçados espiritualmente aos olhos de Deus. O homem rico é uma representação de desses judeus nominais, mergulhados em seu orgulho farisaico, os quais seguiram rigorosamente suas tradições, sem demonstrarem amor para com os gentios. Os judeus deveriam ser depositários dos oráculos divinos e uma luz para as nações. Os reis da Terra deveriam caminhar vendo a glória de Deus sobre eles. Contrariando os propósitos de Deus, os judeus nominais partilhavam de um excessivo orgulho nacional e julgavam-se salvos pela indisputável condição de serem considerados “filhos de Abraão”. Eles possuíam uma incalculável riqueza de cunho espiritual. Sobre eles repousavam as bênçãos de Deus, mas infelizmente eles as empregavam egoistamente para a sua própria honra. Por não terem desempenhado dignamente suas responsabilidades, Jesus disse que o Reino de Deus lhes seria tirado e dado a uma nação que produzisse os devidos frutos” destaca o Padre Jefferson.   No final da Santa Missa foi sorteado Bíblias entre os fieis. 8d8862ea-4f76-41e8-832d-b4b15044a8eb 82e264db-0dac-47d6-b3d1-71c46653f37c 0094ba7a-080a-4f72-b862-32e55fc549ac 5779295e-1666-48b9-aa67-254740968e9e f14e670c-5d70-4b71-a2a6-3d9c9bc7963d fe5cfdcf-d9b2-450a-86c7-b3ccb84ced34