Com quase 1 km, o asteroide 2014 JO25 fará sua maior aproximação com a Terra dos últimos 400 anos!

Um asteroide gigantesco fará sua máxima aproximação com a Terra no dia 19 de abril de 2017. Segundo a NASA, não há necessidade de pânico, pois ele não irá colidir com o nosso planeta, apesar da grande proximidade.

A grande rocha espacial, nomeada 2014 JO25, é realmente grande, medindo cerca de 650 metros, que é igual a altura da Torre de Xangai, o edifício mais alto da China e o segundo edifício mais alto do mundo. O asteroide passará a uma distância segura de 1,8 milhão de quilômetros, ou cerca de 4,6 vezes a distância da Lua. Por conta de seu tamanho, o asteroide ganhou o apelido de “The Rock”, em referência ao ator norte-americano Dwayne Johnson.

“Pequenos asteroides passam nessa mesma distância várias vezes a cada semana, mas essa grande aproximação é a maior de qualquer asteroide conhecido com este tamanho. A última vez que um asteroide igual ou maior do que 2014 JO25 passou mais próximo foi em setembro de 2004, quando o asteroide Toutatis, medindo 5,1 quilômetros, passou a quatro distâncias lunares”, disseram funcionários da NASA em um comunicado.

O asteroide 2014 JO25 foi descoberto há três anos, quando astrônomos o avistaram com seus telescópios na Universidade do Arizona, através do programa Catalina Sky Survey, que é patrocinado pelo programa da NASA de NEOs (Objetos Próximos da Terra), que por sua vez, visa identificar e rastrear asteroides potencialmente perigosos no Sistema Solar.
Fonte de energia para a vida foi detectada em Encélado, lua de Saturno

Apesar da NASA não conhecer muito sobre suas propriedades físicas, a missão NEOWISE indica que o asteroide seja cerca de duas vezes mais reflexivo do que a Lua, o que possibilitará sua observação através de pequenos telescópios – uma ótima notícia para os apaixonados pelo céu noturno! Após se tornar visível, ele deverá desaparecer lentamente após uma ou duas noites.

Durante sua máxima aproximação com a Terra, o asteroide 2014 JO25 estará viajando a uma velocidade de 33 metros por segundo. Essa será sua maior aproximação com o nosso planeta dos últimos 400 anos. Se o tempo permitir, teremos aqui em nosso site uma transmissão ao vivo com imagens em tempo real do asteroide 2014 JO25 durante sua máxima aproximação com a Terra, feitas a partir de telescópios.

“O encontro de 19 de abril fornecerá uma excelente oportunidade para estudar este asteroide, e astrônomos ao redor do mundo planejam observá-lo com telescópios, para aprender o máximo possível”, disse um comunicado da NASA. “Observações de radar deverão ser feitas pelo Goldstone Solar System Radar, na Califórnia, e no Observatório do Arecibo, em Porto Rico. As imagens resultantes poderão revelar detalhes e características de alguns metros em sua superfície.”

Vale ressaltar mais uma vez que o asteroide 2014 JO25 não irá colidir com a Terra no dia 19 de abril. Se colidisse, seu tamanho não seria suficiente para causar um evento de extinção global, porém, poderia destruir grande parte de uma cidade, e até causar efeitos em toda uma região.

Apesar de não ser uma ameaça para o nosso planeta, seu tamanho, velocidade e proximidade são um lembrete alarmante de como as rochas espaciais gigantescas e potencialmente destrutíveis podem chegar próximas do nosso planeta.

Um asteroide passou raspando em nosso planeta, mas só foi descoberto algumas horas antes

Um asteroide do tamanho de uma caminhonete passou praticamente raspando na Terra no dia 30 de janeiro, apenas algumas horas após ser descoberto pelos cientistas.

O asteroide próximo da Terra, agora conhecido como 2017 BH30, passou a apenas 51.820 quilômetros do nosso planeta, ou seja, cerca de 13% a distância entre a Terra e a Lua. A máxima aproximação ocorreu às 04:59 pelo horário internacional (02:59 pelo horário de Brasília), de acordo com astrônomos do Minor Planet Center, em Cambridge, EUA.

O objeto 2017 BH30 tem cerca de 5,8 metros de largura, disseram os cientistas do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA. As rochas espaciais deste tamanho não representam uma ameaça considerável para a Terra ou seus habitantes, disseram os pesquisadores.

Para termos uma ideia melhor do que representa um asteroide de pequeno porte, o objeto que explodiu sobre a cidade russa de Chelyabinsk, em fevereiro de 2013, ferindo mais de 1.000 pessoas, foi estimado em cerca de 20 metros de largura. De acordo com os pesquisadores, um asteroide precisa ter pelo menos 1 km de diâmetro para causar destruição em escala global, ou seja, o objeto 2017 BH30 está longe de representar uma ameaça global, mas sua descoberta feita apenas algumas horas antes de sua máxima aproximação com a Terra nos mostra o quanto somos (e estamos) suscetíveis a visitas “inesperadas” de rochas espaciais…

O objeto 2017 BH30 foi descoberto no dia 29 de janeiro por cientistas do Catalina Sky Survey, no Arizona, EUA. De acordo com os cálculos de sua trajetória, o asteroide leva cerca de 3,8 anos terrestres para completar uma volta ao redor do Sol, viajando ao longo de uma órbita muito mais elíptica do que a da Terra. Essa rocha espacial chega a 0,81 UA do Sol, e se distancia a 3,84 UA, de acordo com o Minor Planet Center. [1 Unidade Astronômica equivale a distância média entre a Terra e o Sol.

Fonte: Galeria do Meteorito

Edição de matérias sobre Seropédica e atualidades.

Comentários