Lista com novos nomes que integrarão o colégio cardinalício foi divulgada na manhã deste domingo. Ao todo, serão 19 cardeais, sendo três eméritos

O DIA E EFE

 Rio – O papa Francisco anunciou neste domingo, durante a oração do Ângelus, na Praça de São Pedro, no Vaticano, a criação de 19 novos cardeais, entre eles o arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta. Esta é a primeira vez que o pontífice faz este tipo de nomeação desde março de 2013, quando chegou ao posto mais importante da Igreja Católica.

O consistório no qual Francisco entregará o capelo e o anel aos novos cardeais será realizado, como já tinha sido antecipado, no dia 22 de fevereiro, no Vaticano. Entre os 19, 16 têm menos de 80 anos, incluindo dom Orani, e poderão votar no Conclave que vai eleger o sucessor de Francisco como papa.

 Além do brasileiro, foram criados cardeais de Itália, Alemanha, Reino Unido, Nicarágua, Canadá, Costa do Marfim, Argentina, Coreia do Sul, Chile, Burkina Faso, Filipinas, Haiti, Espanha e Santa Lúcia. Os três arcebispos eméritos, que têm mais de 80 anos, são Loris Francesco Capovilla (Itália), o Kelvin Edward Felix (Santa Lúcia) e Fernando Sebastián Aguilar (Espanha).Dom Orani, de 63 anos, foi nomeado arcebispo do Rio de Janeiro em 2009, e já tinha sido arcebispo de Belém e bispo de São José do Rio Preto. Ele nasceu em São José do Rio Pardo (SP) em 1950 e foi ordenado padre em 1974. O novo cardeal foi o anfitrião do pontífice no ano passado durante a visita oficial ao Rio de Janeiro em função da Jornada Mundial da Juventude.O papa também anunciou neste domingo que, antes da cerimônia de 22 de fevereiro, reunirá o Colégio Cardinalício nos dois dias anteriores para “debater o tema da família”. O último consistório aconteceu em novembro de 2012, e no final deste mês o número de cardeais eleitores, ou seja, os com menos de 80 anos, será de 106, por isso havia 14 vagas disponíveis no Colégio Cardinalício.

Com as nomeações de hoje, o número de eleitores passará a 122, superando o máximo de 120 que participa de um Conclave, mas dez cardeais completarão 80 anos em 2014. O conclave no qual Francisco foi eleito papa, em 13 de março do ano passado, era formado por 69 cardeais da Europa, 19 das Américas, 11 da África e 10 da Ásia.

Papa Franscico recordou que na sua diversidade de origens, os novos cardeais “representam a profunda relaçao eclesial entre a Igreja de Roma e as outras Igrejas dispersas pelo mundo”. Ele pediu também orações pelos novos purpurados, “para que revestidos das virtudes e dos sentimentos do Senhor Jesus, Bom Pastor, possam ajudar mais eficazmente o Bispo de Roma no seu serviço à Igreja universal”.

CARDEAIS

– O arcebispo do Rio de Janeiro, D. Orani Tempesta, do Brasil.
– O secretário de Estado do Vaticano, o italiano D. Pietro Parolin;
– O secretário geral do Sínodo dos Bispos, o italiano, D. Lorenzo Bardisseri;
– O arcebispo emérito de Regensburg e prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, o alemão D. Gerhard Ludwig Muller;
– O prefeito da Congregação para o Clero, o italiano Beniamino Stella;
– O arcebispo de Westminster, o inglês D. Vincent Nichols;
– O arcebispo de Manágua, na Nicarágua, D. Leopoldo Solorzano;
– O arcebispo de Québec, o canadense D. Gérald Lacroix;
– O arcebispo de Abidjão, na Costa do Marfim, D. Jean –Pierre Kutwa;
– O arcebispo de Perugia, o italiano D. Gualtiero Bassetti;
– O arcebispo de Buenos Aires, o argentino D. Mario Aurelio Poli;
– O arcebispo de Seul, o coreano D. Andrew Yeom Soo Jung;
– O arcebispo de Santiago do Chile, D. Ricardo Andrello;
– O arcebispo de Ouagadougou, de Burkina Faso, D. Philippe Ouédraogo;
– O arcebispo de Cotabato, o filipino D. Orlando Quevedo;
– O bispo de Les Cayes, o haitiano D. Chibly Langlois;

CARDEAIS EMÉRITOS

– Mons. Loris Capovilla, de 98 anos, que foi secretário pessoal do Papa João XXIII;
– D. Fernando Sebastian Aguillar, arcebispo emérito de Pamplora, Espanha;
– D. Kelvin Felix, arcebispo emérito de Castries, Jamaica.

 

Faça o seu comentário