Prefeito se reuniu com líderes religiosos em agenda secreta no Palácio da Cidade

Segundo reportagem, prefeito ofereceu auxílio em cirurgias de cataratas e varizes para fiéis e assistência a pastores que tivessem problemas de IPTU em seus templos

O encontro do prefeito Marcelo Crivella com líderes evangélicos no Palácio da Cidade na quarta-feira pode ter sérias consequências. O prefeito foi gravado oferecendo facilidades para cirurgias de catarata e varizes, soluções para problemas de IPTU dos templos e instalação de pontos de ônibus. O Ministério Público esclareceu, em nota, que vai investigar o caso. O Centro de Apoio às Promotorias Eleitorais do MP distribuiu notícia do fato para a Promotoria Eleitoral. A Coordenação de Saúde do órgão, área que fiscaliza a política de regulação no SUS, também foi notificada.

O procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, disse em entrevista ao RJTV, da Rede Globo, que considera também a possibilidade de abrir um procedimento. “As afirmações do prefeito ferem princípios jurídicos”, apontou.

No evento, divulgado pelos jornalistas Bruno Abbud e Berenice Seara dos jornais O Globo e Extra, e pelos telejornais das Organizações Globo, Crivella é gravado. O prefeito destacou o pré-candidato a deputado federal pelo PRB e ex-secretário municipal, Rubens Teixeira, presente ao encontro.

No áudio, Crivella diz que se “os irmãos tiverem alguém na igreja com problema de catarata, por favor, falem com a Márcia (Nunes, uma assessora do prefeito)”. Ele explica que o atendimento será feito em prazo menor. “É só conversar com a Márcia que ela vai anotar, vai encaminhar e, daqui a uma semana ou duas, eles estão operando”, garantiu. Também ofereceu ajuda a pastores com problema no IPTU. “Temos que aproveitar que Deus nos deu a oportunidade de estar na prefeitura para esses processos andarem”.

O presidente do Conselho Regional de Medicina do Rio (Cremerj), Nelson Nahoun, ficou indignado. “O prefeito dizer que tem um modo de furar fila? Todos merecem tratamento igual”, questionou. Acrescentou que segunda-feira se reúne com o departamento jurídico para estudar uma ação sobre o assunto.

Em nota, a prefeitura alega que “a reunião citada teve como objetivo prestar contas e divulgar serviços importantes para a sociedade, entre eles o mutirão de cirurgias de catarata e o programa sem varizes. A prefeitura conta, inclusive, com o apoio dos meios de comunicação para ampliar essa divulgação. Desde o início de sua gestão, o prefeito já recebeu os mais diversos representantes da sociedade civil, para tratar dos mais variados assuntos, tanto em seu gabinete quanto no Palácio da Cidade”. À noite, circulou na Internet mensagem atribuída ao prefeito, onde ele diz que “é triste notarmos o quanto ainda precisamos avançar no âmbito da luta contra o preconceito religioso. Em nossa gestão, todas as religiões sempre foram e serão muito bem recebidas”.

Promotoria vai apurar improbidade

A coordenação das promotorias de Justiça da Cidadania do MPRJ vai analisar se houve “inobservância da laicidade do Estado”. Será apurado se o tratamento privilegiado aos fiéis de um determinado segmento religioso, o que é proibido pela Constituição, pode configurar improbidade administrativa. As falas de Crivella também serão analisadas pela Coordenação de Saúde do órgão, para a fiscalização da política de regulação do SUS.

De acordo com o presidente do Cremerj, Nelson Nahoun, milhares de pacientes estão na fila aguardando cirurgias de catarata e outros procedimentos vasculares no município. “Pacientes diabéticos estão tendo suas cirurgias vasculares adiadas, gerando, inclusive, aumento de amputação de perna por causa disso e o prefeito usando a máquina do município para beneficiar a igreja dele. Isso é uma afronta à população do Rio”, disse o médico. Ele destacou ainda que o Cremerj está brigando pela unificação do Sistema de Regulação (Sisreg), que apesar de ordem judicial, ainda não foi feita.

Edição de matérias sobre Seropédica e atualidades.

Faça o seu comentário