Em casos de gripe é preciso consultar um médico e tomar antibióticos para combater o vírus

Chegamos à época do ano, mais tarde do que o habitual, em que a gripe ou o resfriado atinge um grande número de pessoas nos EUA.

Embora às vezes tenham sintomas semelhantes, a gripe caracteriza-se por um estado de abatimento geral com febre, dores musculares, de garganta e de cabeça. Um resfriado, por sua vez, é uma infecção de origem viral cujos sintomas incluem congestionamento das vias respiratórias e tosse, sem que ocorra febre.

Em casos de gripe é preciso consultar um médico e tomar antibióticos para combater o vírus. Já os resfriados são tratados em geral com vitamina C, aspirina e chás quentes. Como a gripe é uma doença contagiosa, muitas vezes as pessoas precisam se afastar do local do trabalho por alguns dias, sem que recebam uma compensação salarial.

Apenas dez estados dos EUA têm leis trabalhistas que permitem o pagamento de licença médica remunerada. De acordo com o Bureau of Labor Statistics, só 62% dos trabalhadores de pequenas empresas têm direito à licença médica remunerada.

O pagamento de licença médica remunerada estende-se a 79% dos trabalhadores de empresas de médio porte, com 100 a 499 funcionários, e a 87% dos trabalhadores de grandes empresas, com 500 ou mais funcionários. Ainda assim, milhões de americanos que precisam se recuperar de gripes ou de outras doenças em casa têm seus salários descontados nos dias em que faltam ao trabalho.

Segundo especialistas em microbiologia, a epidemia de gripe este ano será menos severa do que a de 2018, um ano em que o vírus transmissor da doença, atípico e resistente a antibióticos, provocou muitas mortes.

Porém, mesmo com essa forma mais branda da doença, o aspecto doentio das pessoas causará preocupação em seus colegas de trabalho por medo de serem infectados, o que as forçará a se recuperarem da infecção em casa.

Faça o seu comentário