O que estou fazendo como Cristão? morreria por alguém com Jesus fez?

O Padre Jefferson Silva Oliveira inicia sua pregação falando da nossa falta de fé, os nossos pecados, Quem sou eu? Quem sou eu frente a Jesus que sofre? — questionou o Padre Jefferson ao iniciar seu sermão, Somos como Judas, capaz de trair Jesus, ou sou como os discípulos que não entendem nada, que dormiam enquanto que o Senhor sofria? Minha vida está adormecida? Onde está meu coração? A qual dessas pessoas (do Evangelho) me assemelho? Esta pergunta vai nos acompanhar durante toda a semana — acrescentou o Padre Jefferson em tom sério durante sua homilia.

A Semana Santa é grande Semana, na qual celebramos, de modo solene, a vida, a morte e ressurreição do Senhor. Com Jesus, queremos seguir seus passos a caminho do Calvário. Celebrar uma boa Semana Santa é viver uma semana intensa de oração, reflexão e celebração com a Igreja de Deus. É experimentar o Amor de Jesus derramado na cruz. Esta não pode ser mais uma Semana Santa, deve uma totalmente nova, ao renovar a minha, a minha adesão a Jesus Cristo.

Estes ramos que abençoamos recordam que queremos seguir Jesus. Estamos Alegres, pela sua presença em nossa vida. Ele é o nosso Salvador. O povo de Jerusalém reconheceu em Jesus a Salvação, por isso gritaram: Hosana ao Filho de Davi! Hosana nas altura! Bendito o que vem nome do Senhor!. Alegremos nos também filhos, Jesus veio ao mundo para nos libertar. Apesar das dores do mundo e da Igreja, há uma esperança. A nossa vida, a nossa igreja, pode mudar com Jesus Cristo. Não desanime na sua vida, não desista de viver. Ele veio a este mundo por nós. Tomar os ramos é aceitar Jesus, como Senhor de nossas vidas.

Hoje é celebração da Paixão. Jesus morreu na Cruz por amor a nós. Ele assumiu o sofrimento para aliviar os nossos sofrimentos. Ele que tanto amou, fez milagres, pregou a palavra, anunciou o Pai, foi rejeitado por nós na cruz. Ele veio fazer o Bem e matamos um inocente. A cruz irmãos é sinal do amor de Deus, mas também da rejeição a este amor. Filho, nós continuamos a rejeitar Jesus quando praticamos a injustiça. Aqueles homens do tempo de Jesus foram: violentos, mentirosos, invejosos e incrédulos. Quando agimos assim com o irmão, crucificamos e ofendemos a nosso Senhor. O pecado do mundo é não amar é não crer em Jesus. Faltava amor naquele povo. O amor desceu e não souberam amar o Amor. ´

A cruz de Jesus nos ensina que devemos amor até o fim, mesmo que o mundo não acredite. Se amássemos uns aos outros, como Jesus ensinou, não haveria violência no mundo, não jogaríamos as crianças no lixo ou do alto de um prédio. Se houvesse mais amor teríamos tolerância com o diferente e não condenaríamos as pessoas pelo seu pecado. Se amássemos mais nossas famílias seriam mais unidas, haveria partilha, carinho e diálogo. Se amássemos mais, pais não deixariam seus filhos. E filhos não se esqueceriam de seus pais idosos, na velhice. Se houvesse mais amor, não teríamos medo de andar pelas ruas à noite. Só amor, o amor que vem de Deus, pode mudar a nós e o mundo. Se houvesse mais amor, mais gente daria a sua vida para igreja, como padre, freira e nos diferentes trabalhos da igreja. Se amássemos mais, teríamos mais vontade de estar perto de Jesus, na igreja, na oração. Amor, amor. Precisamos amar.

Filhos, creiamos nele tenhamos fé. O mundo é incrédulo. As pessoas não querem se comprometer com Cristo. Admiram, mas lavam as mãos. Somos nós quando recebemos e reconhecemos a graças e não queremos viver a nossa fé. Católico que não vai a igreja e não participa da sua paróquia e não vive a sua fé é como Herodes. Joga fora a salvação que Deus dá.

234

Faça o seu comentário