Caso aconteceu na Assistência Médica Ambulatorial (AMA) do Hospital Ermelino Matarazzo, em Itaquera

Lívia Nascimento, de 4 meses: morte investigada pelo Sistema de Verificação de Óbitos (SVO) (Reprodução/Divulgação)
A bebê Lívia Nascimento, de apenas 4 meses, morreu neste sábado (17) nos braços da mãe enquanto esperava atendimento na Assistência Médica Ambulatorial (AMA) do Hospital Ermelino Matarazzo, na Zona Leste de São Paulo.A criança estava com falta de ar e havia passado pela triagem do local, mas os enfermeiros não diagnosticaram nada grave. Minutos depois, na fila para o atendimento médico, a garota desmaiou. Levada ao PS da instituição, não resistiu e morreu. Os médicos ainda tentaram ressuscitá-la durante mais de uma hora, mas de nada adiantou.

Procurada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Saúde informou que ainda não se sabe o motivo da morte da bebê, mas que lamenta o ocorrido e que será aberta uma sindicância para apurar os fatos – veja nota abaixo. O corpo foi levado ao Sistema de Verificação de Óbitos (SVO).

“A Secretaria Municipal de Saúde lamenta o ocorrido e determinou uma sindicância para apuração imediata dos fatos. De acordo com o relato da direção da Assistência Médica Ambulatorial (AMA) Ermelino Matarazzo, a criança passou pela triagem e foi avaliada com baixa classificação de risco por conta dos sintomas descritos e por apresentar boa saturação. No decorrer do atendimento, o quadro foi agravado e quando foi constatada a parada respiratória, a criança foi encaminhada ao pronto-socorro do Hospital Municipal Professor Dr Alípio Corrêa Netto (Ermelino Matarazzo), onde as equipes prontamente iniciaram as manobras e medicação para reverter o quadro. Ainda de acordo com a AMA, os dois pediatras do plantão estavam em atendimento ambulatorial. A Secretaria reitera que todos os fatos serão apurados para que, caso constatadas falhas no atendimento, as medidas cabíveis sejam adotadas.”

Fonte: Veja São Paulo

Faça o seu comentário