Espécies foram encontradas na Região Oceânica através de denúncias sobre construções irregulares no entorno do Parque da Tiririca

Fiscais da Coordenadoria Integrada de Combates a Crimes Ambientais (CICCA), órgão da Secretaria de Estado do Ambiente, em parceria com outros órgãos ambientais, deflagraram uma operação que resultou na apreensão de 28 aves silvestres, na Região Oceânica de Niterói, na manhã de ontem.

Os agentes chegaram ao local, que tem acesso pela Rua Francisco da Cruz Nunes, através de denúncias sobre construções irregulares no entorno do Parque da Tiririca. Os fiscais detectaram não só essas irregularidades, como também pássaros com sinais de maus-tratos presos em dezenas de gaiolas, entre eles, dois Saltator Similis, conhecido popularmente como trinca–ferro, espécie ameaçada de extinção.

Crimes como este se enquadram na Lei de Crimes Ambientais (L. 9.605/98), cuja pena é de detenção de seis meses a um ano e multa. A multa, aplicada pelo Instituto Estadual do Ambiente (INEA), tem o valor de R$ 500 por animal apreendido, podendo passar a R$ 5 mil, por animal que conste na lista oficial de fauna brasileira ameaçada de extinção. Ao todo, foram nove espécies encontradas.

Autuação – Um homem, identificado como Magno Roque da Conceição de Mello, de 40 anos, que estava com as aves, foi notificado e conduzido à 79ª DP (Jurujuba), onde será autuado. O infrator alegou não saber das consequências de manter estes animais em cativeiro.

Além disso, três pessoas foram notificadas por construção de barracos, armazenamento de lixo e material inerte e poluição no corpo hídrico no Rio Arrozal.

O Coordenador da CICCA, José Maurício Padrone, explicou que operações desse porte sempre existiram, porém com órgãos isolados.

“É importante destacar que com diversos órgãos trabalhando em conjunto, o sucesso da ação é garantida. A operação atirou no que viu e acertou o que não viu. Fomos ao local para combater construções irregulares e detectamos também esse crime ambiental e que nós não esperávamos encontrar.”, ressaltou Padrone.

A operação contou com 35 agentes, entre eles, fiscais da Unidade de Polícia Ambiental da Serra da Tiririca, Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Niterói, e do Inea.

O Secretário de Meio Ambiente de Niterói, Daniel Marques, explicou que a preocupação dos órgãos era com a favelização da região.

“Já temos quatro barracos aqui. O nosso medo era que o local ficasse completamente tomado por essas construções irregulares. Essas ações serão contínuas em Niterói.”

Os animais apreendidos foram encaminhados para a Delegacia Policial e posteriormente para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), em Seropédica, onde passarão por avaliações, e os que estiverem aptos, serão devolvidos para o habitat natural.

O Secretário de Estado do Ambiente, Carlos Minc, elogiou a operação conjunta dizendo que «as áreas que ainda estão verdes no Estado devem ser preservadas tanto para ricos como para pobres.

 

 

Faça o seu comentário