Aprenda a reproduzir Orquídeas

Como Reproduzir Orquídeas, com carinho Um

blc magic meadows 003polinea da orquideas 001

                                                                                         POLINIZAÇÃO

               A maioria das flores de outras plantas utiliza-se de ofertas de alimento aos agentes polinizadores para atraí-los. As orquídeas, sendo plantas tão econômicas, que vivem de recursos tão esparsos, desenvolveram outras técnicas de atração que raramente incluem estes prêmios em forma de alimento. As formas mais comuns são o mimetismo a alguma forma que interesse aos insetos, cores, perfumes ou cera. Adaptaram-se também em sua forma de modo a forçar os agentes polinizadores a carregarem o pólen ao visitarem as flores, porém de maneira. tão completa que somente o agente polinizador correto ajusta-se ao mecanismo da flor, outros visitantes não carregam o pólen. Isto ocorre devido ao fato de todo o polén estar condensado em somente um polinário e este ser removida completo de uma vez, ou seja, a chance de polinização da flor é única. Da mesma forma o labelo de suas flores apresenta grande variedade de estruturas que objetivam colocar o agente polinizador na posição correta para que as polínias aderidas a ele alojem-se na posição exata no estigma da flor.

1 º PASSO ORQUÍDEA FLORIDA REALIZAR A FECUNDAÇÃO

Imagem 357

2º PASSO RETIRADA DA POLÍNEA

Imagem 358

RETIRANDO A POLÍNEA

Imagem 363

RETIRANDO A POLÍNEA

Imagem 364

ORQUÍDEA SEM POLÍNEA

Imagem 359

SEPARANDO DA POLÍNEA DO PROTETOR

Imagem 366

3º PASSO POLÍNEA NA PINÇA

Imagem 372

POLÍNEA ZOOM 300 V

Imagem 365

4º PASSO COLOCAR A POLÍNEA NA PARTE
GELATINOSA DA FLOR DA ORQUÍDEA

DSC02596

CAPSULA DE SEMENTE APROXIMADAMENTE 1
ANO APOS A FECUNDAÇÃO

Sementes

 
                 Quase todas as orquídeas apresentam sementes minúsculas e leves, constituídas por um pequeno aglomerado de células de cobertura abrigando um embrião. Cada planta produz de centenas de milhares de sementes em cada uma de suas cápsulas.
Imagem 253
5º PASSO CORTAR A CAPSULA DA ORQUÍDEA
Imagem 254
6º PASSO LAVAR A CAPSULA
Imagem 257
Imagem 283
7º PASSO ESTERILIZAR TODO O MATERIAL QUE VAI SER USADO 
Imagem 284
8º PASSO ABRIR A CAPSULA
Imagem 286
Imagem 288
9º PASSO SEPAR A SEMENTE DA ORQUÍDEA
Imagem 289
Imagem 304
SEMENTE DE ORQUÍDEA
Imagem 241Imagem 243
ZOOM
Imagem 293Imagem 294
ZOOM 300 VEZES
Imagem 263
10º PASSO LAVAR A SEMENTE
Imagem 268
11º PASSO PREPARAR A GELATINA COM NUTRIENTES
Imagem 272
12º COLOCAR A SEMENTE EM UMA SERINGA
Imagem 278
Imagem 275
13º PASSO A SEMENTE NO FRASCO COM A GELATINA
PREPARADA E LACRAR O FRASCO
Imagem 296
 1 ANO APOS O PLANTIO
Imagem 301
IDENTIFICAÇÃO DO FRASCO
Imagem 312
2 ANO APOS
Imagem 314
14º PASSO LAVAR BEM TODA GELATINA
Imagem 282
15º PASSO RETIRAR A PLANTA DO FRASCO
Imagem 318
 16º PASSO: LAVANDO AS MUDINHAS
Imagem 319
17º SEPARAS AS MUDAS
Imagem 322
18º PREPARO VASO COLETIVO COM MUSGO
PARA O PLANTIO
Imagem 325Imagem 327Imagem 329
VASOS COLETIVO DE MUDAS
Imagem 345
6 MESES APOS O PLANTIO NO ORQUIDÁRIO
Imagem 342
APOS 1 ANO PLANTAR E VASOS INDIVIDUAIS E PEQUENOS
Imagem 332
APOS 3 ANOS PLANTAR EM VASOS INDIVIDUAIS E GRANDES
blc monorian helen braw 0002
APROXIMADAMENTE 8 ANOS PLANTAS
FLORIDA DE SUA SEMENTEIRA

REPRODUÇÃO DE ORQUÍDEAS POR MERISTEMA

                   Um meristema é o tecido encontrado em todas as plantas, constituído de células indiferenciadas (células meristemáticas) e encontrado em zonas da planta onde o crescimento pode ocorrer.

                    Células vegetais diferenciadas em geral, não pode dividir ou produzir células de um tipo diferente. Divisão celular, portanto, no meristema é obrigada a fornecer as novas células para expansão e diferenciação de tecidos e iniciação de novos órgãos, fornecendo a estrutura básica do corpo da planta.

                   Células meristemáticas são análogos em função de células-tronco em animais, são incompletas ou não diferenciadas, e são capazes de divisão celular contínua (juvenil). Além disso, as células são pequenas e enchem o protoplasma da célula completamente. Os vacúolos são extremamente pequenos. O citoplasma não contém diferenciados plastídios (cloroplastos ou Cromoplastos), embora estejam presentes em forma rudimentar (proplastídeos). Células meristemáticas são embaladas juntas sem cavidade intercelular. A parede celular é uma parede primária celular muito fina.

                  Manutenção das células requer um equilíbrio entre dois processos antagônicos: a iniciação de órgãos e a renovação da população de células-tronco.


Meristema primário

           O tecido meristemático primário tem como função o crescimento longitudinal. Ele é o primeiro meristema a aparecer nas extremidades da radícula e dos cotilédones da semente, chama-se Meristema apical e é formado por células iguais, com múltiplos vacúolos envoltos nas suas paredes celulares finas. Mas estas células vão se diferenciando em três tipos de meristema primário:

O meristema primário divide-se em três partes

  • Dermatogênio ou protoderme – epiderme e anexos (uniestratificado)
  • Periblema – casca ou córtex (pluriestratificado)
  • Pleroma – cilindro central ou estelo (pluriestratificado)

Obs: Na raiz encontra-se ainda o caliptrogênio, que forma a coifa ou caliptra.

Meristema secundário

            O outro meristema, o secundário, consiste em um crescimento latitudinal (largura, espessura, etc), e é popularmente conhecido como sistema secundário lateral. As células deste mostram-se o oposto das do meristema primário, com núcleo periférico, vacúolo central e volumoso, parede celular espessa e há diferença no tamanho das suas células. Origina-se na desdiferenciação, ocorrendo somente nas gimnospermas e angiospermas

O meristema secundário divide-se em duas partes

 

The following two tabs change content below.

Luiz Calderini

Edição de matérias sobre Seropédica e atualidades.

Comentários