Um ataque mortífero realizado em Cabul, capital do Afeganistão, na quinta-feira (26) foi obra de um único homem-bomba em um portão do aeroporto e não houve uma segunda explosão em um hotel próximo, disse o Pentágono nesta sexta-feira (27).

O ataque ao aeroporto, que matou pelo menos 180 pessoas, incluindo 13 militares norte-americanos, foi reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico.

“Posso confirmar a vocês que não acreditamos que tenha havido uma segunda explosão perto do Hotel Baron, que foi um homem-bomba”, afirmou o general do Exército William Taylor a repórteres. Ele ainda disse que os soldados do país feridos no ataque estão sendo tratados agora na Alemanha.

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, disse aos repórteres que os Estados Unidos creem que ainda há ameaças “específicas e críveis”.

“Certamente estamos preparados, e esperaríamos tentativas futuras”, declarou Kirby. “Estamos monitorando estas ameaças, muito, muito especificamente, virtualmente em tempo real”, acrescentou.

O ataque ocorreu durante a retirada de dezenas de milhares de pessoas liderada pelos EUA. O Talibã assumiu o poder há quase duas semanas enquanto tropas norte-americanas começavam a se retirar.

Expresso Diário