Chuvas na Bahia: Defesa Civil registra deslizamentos e 468 ocorrências

0
31

Cerca de 270 pessoas estão desabrigadas após nove sirenes terem sido acionadas ao longo da semana

A Bahia voltou a ser castigada por fortes chuvas que caem principalmente sobre a capital, Salvador, esta semana. Só nesta quarta-feira (20), de acordo com a Defesa Civil de Salvador (Codesal), houve, até o fim da tarde, registro de 468 ocorrências ligadas ao temporal.

Ao todo, houve atendimento a 111 deslizamentos de terra pela cidade e, em vários pontos do município, o acumulado de chuva ultrapassou os 150mm nas últimas 72 horas. A grande quantidade de água deixa ruas alagadas em vários pontos, além de rastros de destruição.

A cidade está em nível de alerta máximo. Desde as 6h da manhã, sirenes foram acionadas em pelo menos duas comunidades por conta do risco de deslizamentos: em Bosque Real, no bairro Sete de Abril, e na comunidade Moscou.

Fachada de casarão no Corredor da Lapinha desmoronou após temporal com ventania
Divulgação / Transalvador – 20/04/2022

Fachada de casarão no Corredor da Lapinha desmoronou após temporal com ventania

Durante a semana, outras sete já haviam tocado. Pelo menos 271 pessoas que precisaram deixar suas casas estão desabrigadas e foram encaminhadas para escolas municipais.

Pela manhã, um outdoor foi levado pela força do vento e despencou na Avenida Mário Leal Ferreira — conhecida como Avenida Bonocô. Também houve registro de pelo menos quatro árvores que caíram, além de outras 25 que, como temporal, ameaçaram ir ao chão.

Ao todo, a Condesa registrou ainda 84 chamados para risco de desabamento de imóveis pela cidade. Uma das construções parcialmente destruídas foi um casarão no Corredor da Lapinha: a fachada caiu sobre a calçada e, por sorte, ninguém se feriu.

O prefeito da capital baiana, Bruno Reis (DEM), se manifestou sobre os estragos causados pela chuva em sua página numa rede social. Segundo ele, já choveu mais que o dobro para o previsto para abril.

“Neste mês de abril, já choveu mais de 330mm em nossa cidade. Isso representa 110% a mais do que estava previsto, mas graças a Deus e ao trabalho que fazemos durante todo ano na conteção de encostas, ações de manutenção e investindo em tecnologia, nossa cidade está resistindo”, escreveu Reis.

Os maiores acumulados médios de chuva nas últimas 72h — levando em consideração diferentes áreas dos bairros — foram registrados, segundo a Defesa Civil, nas regiões de Barra / Pituba (153,3mm), Liberdade / São Caetano (147,4mm), Centro / Brotas (142,3mm) e Subúrbio / Ilhas (143,7mm).

Apesar dos relatos nas redes sociais sobre a dificuldade de locomoção na cidade, por conta do temporal, e reclamações sobre a quantidade de áreas alagadas, não há registro de mortes, ao contrário do que aconteceu no estado no fim do ano passado, quando as chuvas provocaram a morte de 26 pessoas em vários municípios.

Na cidade de Lauro Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, no entanto, o nível da água subiu e deixou moradores ilhados. De madrugada, passageiros de um ônibus ficaram presos em meio à enchente durante quase 7 horas, até que um bote do Corpo de Bombeiros os salvasse, de acordo com registro feito pela TV Bahia.

Fonte: IG