Estamos vivendo a proximidade do final de mais um ano e, com ela, a chegada das festas natalinas. Como sempre, o comércio está agitado: a maioria das pessoas, envolvidas pelas campanhas publicitárias sobre as ofertas de Natal, saem avidamente às compras, cumprindo cegamente o ritual consumista de final de ano e esquecidas do verdadeiro sentido do Natal e o que ele representa para nossas vidas.

Natal não tem nada a ver com Papai Noel, guirlandas, bengalinhas de açúcar etc. Também não tem nada a ver com troca de presentes, ainda que seja um gesto agradável. E muito menos ainda tem a ver com banquetes festivos regados a muita bebida alcoólica. Não! O Natal é Cristo.
 
Historia que antecede o nascimento de Jesus
 

Segundo o Evangelho de Lucas, o trabalho da vida de Jesus na Terra, fôra iniciado por João Batista, filho de Zacarias. Este era um sacerdote judeu que tinha por esposa a Isabel, a qual, por sua vez era membro do ramo mais próspero do mesmo grande grupo familiar ao qual também pertencia Maria, a mãe de Jesus. Zacarias e Isabel, embora estivessem casados há muitos anos fossem de idade avançada, não tinham filhos porque Isabel era estéril. O anjo Gabriel apareceu a direita do altar de incenso a Zacarias e anunciou que suas orações haviam sido ouvidas por Deus e Isabel daria à luz um filho que deveria ser chamado por João. E disse mais: contou que seria “grande diante do Senhor” e que teria a virtude de Elias: o grande profeta que os orvalhos e a chuva se submeteram a sua palavra, o grande profeta que ressuscitou o filho de uma viúva, o grande profeta que chamou fogo do céu. Elias que teve sua maior jornada na luta contra os pecados do rei Acabe e da sua esposa Jezabel, promíscua e adoradora de Baal. Segundo Gabriel, João teria a virtude de Elias, como de fato procedeu contra Herodes e Herodias, e sendo respeitado entre os judeus. Quando Gabriel anunciou o nascimento, Zacarias alegou que ele e sua esposa eram velhos para terem filhos. Por conta dessa incredulidade, Zacarias ficou mudo até o nascimento de João. Quando Zacarias terminou de servir no templo e voltou para casa, Isabel concebeu. Seis meses depois do início da gravidez de Isabel, Gabriel foi até Nazaré e saudou Maria, mulher prometida a José: “Salve cheia de graça; o Senhor é contigo.” Foi anunciada a virgem que daria à luz um filho e que deveria ser chamado de Jesus. E disse mais: que seria chamado filho do Altíssimo, Filho de Deus. O anjo disse que Jesus seria “grande”. Observe-se que ele não seria “grande diante do Senhor”, como foi dito de João, ele seria o próprio Senhor que assentaria no trono de Davi e cujo João estaria adiante nos seus passos de anunciação.

 
Virgem Santa Maria, Rainha sem pecado
 Evangelho: Lc 1, 26-38

Naquele tempo, o Anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, a uma Virgem desposada com um homem chamado José, que era descendente de David. O nome da Virgem era Maria. Tendo entrado onde ela estava, disse o Anjo: «Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo». Ela ficou perturbada com estas palavras e pensava que saudação seria aquela. Disse-lhe o Anjo: «Não temas, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Conceberás e darás à luz um Filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande e chamar-Se-á Filho do Altíssimo. O Senhor Deus Lhe dará o trono de seu pai David; reinará eternamente sobre a casa de Jacob e o seu reinado não terá fim». Maria disse ao Anjo: «Como será isto, se eu não conheço homem?» O Anjo respondeu-lhe: «O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra. Por isso o Santo que vai nascer será chamado Filho de Deus. E a tua parenta Isabel concebeu também um filho na sua velhice e este é o sexto mês daquela a quem chamavam estéril; porque a Deus nada é impossível». Maria disse então: «Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra».

Meditar a Palavra
 
Este tempo que antecede o Natal prepara-nos para ver no menino nascido em Belém, o Messias salvador, Filho de Deus descendente de David, o cumpridor das promessas feitas por Deus para toda a humanidade. Mostra-nos estas realidades através de relatos muito simples que nos fazem crer que a vida era simples e que a resposta dos homens a Deus era também muito simples e quase livre de dificuldades. Na realidade nunca foi fácil obedecer a Deus nem reconhecer que a sua vontade era o melhor para o homem. Maria é visitada pelo anjo e parece tudo tão fácil e simples que até nós dávamos uma resposta igual à dela. Mas quando caímos na vida real e atendemos às proposta de Deus para nós, verificamos que não é assim tão simples.
 
Rezar a Palavra
 
Sinto, hoje, Senhor, que o meu coração quer ser como o de Maria e o de José que, ao escutarem a tua palavra, mudaram as suas decisões e os seus desejos para fazer a tua vontade e dar seguimento ao teu projecto. Nem sempre me á fácil alterar a minha vontade, nem mudar a minha maneira de ver a vida. Nem sempre penso no que Tu queres e poucas vezes entendo que a tua vontade é mais sensata que a minha. Ajuda-me, Senhor, a ver como tu vê para não me perder nos labirintos da minha maneira de pensar.
Compromisso
Hoje vou dizer, diante das contrariedades da minha vida, as mesmas palavra de Maria “faça-se em mim segundo a tua palavra”.

Compreender a Palavra
O relato evangélico de hoje conta-nos o anúncio do anjo que vem da parte de Deus “convidar” Maria para ser a mãe de Jesus. É um relato muito conhecido que pretende evidenciar a proposta de Deus. A relação de Jesus com David que o identifica com o Messias. A acção de Deus em Maria, através do Espírito Santo, que mostra a origem divina do Menino que vai nascer. E a atitude de obediência de Maria diante da proposta de Deus.

Compromisso
Hoje vou dizer, diante das contrariedades da minha vida, as mesmas palavra de Maria “faça-se em mim segundo a tua palavra”.

Nascimento de Jesus 2

Faça o seu comentário