Flamengo e Vasco se enfrentam na próxima quarta-feira (21), às 22h (de Brasília), em Manaus. A partida pelo Torneio Super Series marca o reencontro dos adversários históricos e acirra a rivalidade no início da temporada. A guerra nos bastidores foi declarada desde que o presidente Eurico Miranda venceu a eleição para comandar o Cruzmaltino até 2017.

O polêmico dirigente retornou ao poder e apostou na velha estratégia de provocar o Rubro-negro. Em sua análise, ao fomentar esta rivalidade ele angariou investimentos ao Vasco. O cartola parte do princípio que colocar o Cruzmaltino como o “principal rival” do clube de maior torcida do Brasil traz poder de barganha em negociações.

images

Em pouco menos de dois meses na presidência já foram algumas alfinetadas. Umas em tom de brincadeira e outras através de medidas para prejudicar o Flamengo.

Numa delas, por exemplo, solicitou ao prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, para vetar o projeto rubro-negro de construção de um ginásio poliesportivo na sede da Gávea.

Em outra frente, Eurico atua nos bastidores para renegociar a divisão de cotas de direitos de televisão. Chamando de “espanholização”, ele acha injusta a fórmula atual, onde Flamengo e Corinthians recebem bem mais do que Vasco e demais clubes.

Com o presidente da Ferj (Federação de Futebol do Rio de Janeiro), Rubens Lopes, como braço direito, Eurico fez valer a força política e implantou ao seu modo os preços dos ingressos para o Campeonato Carioca, colocando-os com valores mais populares, algo que não foi de encontro ao desejo da dupla Fla-Flu, que gostaria de privilegiar os sócios-torcedores.

O episódio caiu como uma bomba na relação entre os clubes. Os dirigentes rubro-negros prometem uma longa batalha contra Eurico e descartam qualquer tipo de relação com o rival enquanto o próprio mantiver o objetivo de prejudicar o Flamengo nos bastidores.

Neste período, porém, Eurico sofreu um grande revés com apoio do Rubro-Negro. Imbuído em recolocar o Vasco no cenário do basquete nacional, o dirigente buscou a participação na Liga Ouro, torneio classificatório para o NBB. A proposta foi colocada em votação e, em disputa apertada, o voto do Flamengo contra a participação do Cruzmaltino decretou o fim do projeto do clube de São Januário para 2015.

Questionado logo após a sua posse sobre o primeiro duelo com o rival no Torneio Super Series, Eurico Miranda foi claro:

“O Vasco não entra em competição nenhuma para disputar, ele entra para ganhar. Aliás, aproveito para dizer que entra, em especial, para ganhar do Flamengo”.

Em seu blog, o ex-presidente do Rubro-Negro Kleber Leite revelou um diálogo com o cartola que dimensiona a estratégia do vascaíno.

“Ô Kleber, te prepara porque eu vou bater muito no Flamengo. Toda vez que tiver uma chance, vou colocar a boca no trombone. O Vasco cresceu quando acirrei esta rivalidade. O que você viu até agora não foi nada. Espere o que vem por aí…”, disse o texto.

E a rivalidade também já chegou aos responsáveis pelo espetáculo em campo. Os novos reforços do Vasco utilizaram bastante o discurso de “campeonato à parte” contra o Flamengo durante as entrevistas coletivas. Por outro lado, o técnico Vanderlei Luxemburgo deixou claro o peso do encontro entre os times em Manaus. A característica de amistoso passa longe das intenções dos rivais.

“Vasco e Flamengo têm rivalidade até se jogar na China. O torcedor não quer perder. Em Manaus, vai ter divisão de torcida e eu não quero perder. É um jogo importante, todos nós sabemos”, encerrou Luxa.

images (2)

Faça o seu comentário