Jogadores chegaram a pedir adiamento da partida contra a Ponte após manifestação de torcedores; três celulares foram furtados, e uma funcionária foi agredida

O Corinthians enfrentará a Ponte Preta, neste domingo, às 17h (horário de Brasília), no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

Após uma reunião entre diretoria e jogadores no CT Joaquim Grava, palco da invasão de aproximadamente cem torcedores na manhã deste sábado, o Timão lamentou o fato em um comunicado oficial, mas ressaltou que outros compromissos maiores, como com os patrocinadores, por exemplo, farão com que a delegação viaje a Campinas.

Um dos 12 torcedores presos em Oruro, na Bolívia, acusados da morte do garoto Kevin Espada, foi reconhecido por policiais militares como um dos invasores do CT.

Jogadores como o peruano Paolo Guerrero chegaram a pedir para não jogar, e o clube fez uma consulta à Federação Paulista de Futebol e à Ponte Preta. O medo de uma punição ao clube fez com que desistissem do adiamento.

A diretoria ressaltou que um Boletim de Ocorrência foi registrado no 62º DP de São Paulo por conta da invasão, da depredação das dependências do clube e do sumiço de três celulares de funcionários do CT. Durante a invasão, os invasores pegaram a faxineira do hotel pelo pescoço.

Confira a nota oficial do Corinthians:

A diretoria do Sport Club Corinthians Paulista vem a público lamentar e repudiar profundamente os atos de vandalismo de um grupo de torcedores no CT Joaquim Grava, na manhã deste sábado (01). E comunica que lavrou Boletim de Ocorrência no 62º DP da cidade de São Paulo e se coloca à disposição das autoridades públicas para identificação e punição aos envolvidos.

A direção aproveita também para esclarecer que logo após o ocorrido, diante da truculenta invasão, o grupo momentaneamente não sentiu-se seguro de entrar em campo amanhã frente à Ponte Preta. Entretanto, o elenco quis saber antes quais seriam as possíveis punições e consequências ao clube antes de tomar a decisão.

Ao serem informados de que o clube e, consequentemente, a torcida corinthiana (importante lembrar que a enorme maioria dos torcedores do Corinthians não estava envolvida na ação deste sábado) e os patrocinadores poderiam ser severamente punidos, atletas, comissão técnica e direção chegaram a conclusão de entrar em campo amanhã.

Por fim, a diretoria volta a lamentar e repugnar a ação desta manhã, em que pessoas foram agredidas e ameaçadas, pertences foram roubados e o patrimônio do clube violado.

mosaico_torcidacorinthians_2

Faça o seu comentário