Trabalho que adoece: conheça 5 das principais doenças ocupacionais

0
41

Surdez, esgotamento mental, dermatite e distúrbios osteomusculares estão entre as encrencas que podem surgir quando a relação laboral não é saudável

1. Pneumoconioses

A palavra complicada se refere às doenças pulmonares causadas pela inalação de poeiras e partículas minerais. No contexto ocupacional, afeta trabalhadores da mineração, construção civil, indústria metalúrgica, mecânicos, entre outros. Os sintomas incluem tosse, falta de ar e chiado no peito, e podem evoluir para fibrose pulmonar.

2. Surdez

A exposição a sons intensos no trabalho, sem as medidas de proteção adequadas, pode resultar em perda auditiva parcial ou total. Há um termo técnico para essa síndrome: Perda Auditiva Induzida por Níveis de Pressão Sonora Elevados (PAINPSE).

Os profissionais mais sujeitos são aqueles que lidam com maquinários ou exposição a ruídos constantes, como pedreiros, carpinteiros, metalúrgicos, profissionais da saúde, dentistas, operadores de call center e empregados de casas noturnas.

3. Dermatoses ocupacionais

Profissionais expostos a agentes químicos, físicos ou biológicos podem ser acometidos por irritações e alergias na pele ou nas mucosas, as dermatoses. É um quadro comum em trabalhadores da saúde, da limpeza, da construção civil e da agricultura.

Entre os sintomas estão vermelhidão, coceira, bolhas, descamação, edemas e fissuras. As dermatoses são classificadas de acordo com a gravidade, envolvendo de dermatites leves a ulcerações e câncer de pele.

4. Dort

A antiga Lesão por Esforço Repetitivo (LER) foi trocada por um termo mais abrangente: Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). Ele inclui não apenas a lesão física propriamente dita, mas desconfortos, alterações e sintomas musculoesqueléticos causados por sobrecarga.

As DORT afetam tanto trabalhadores industriais quanto profissionais de escritório. Os sintomas incluem dores crônicas, tendinite, encurtamento dos tendões e inflamação e fraqueza dos músculos.

5. Burnout

O termo se refere ao esgotamento mental e emocional causado por condições de trabalho desgastantes. Os profissionais mais atingidos pelo burnout são os de saúde, educação, assistência social, segurança pública e mulheres que enfrentam dupla jornada (o trabalho doméstico depois do expediente).

Os sintomas são tanto emocionais, como agressividade, mudanças bruscas de humor, isolamento e baixa autoestima, quanto físicos, incluindo dor de cabeça, cansaço, pressão alta, insônia e distúrbios gastrointestinais. Pode evoluir para quadros clínicos mais graves, como ansiedade, depressão, alcoolismo e doenças cardíacas.

Fonte: Revista Galileu