O mês de agosto tornou-se simbólico na promoção do aleitamento materno no Brasil e no mundo. Esse é o  28º ano em 120 países se unem em uma semana inteira dedicada ao incentivo do aleitamento materno. Em 2020, esse movimento estabelecido pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e pelo UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) em defesa da amamentação terá como temática “Apoie o Aleitamento Materno por um Planeta Saudável”.

Em 2020, a pandemia de Covid-19 muda o formato, mas não o foco. De 1º a 7 de agosto, diversas ações vão se concentrar no impacto da alimentação infantil no meio ambiente/mudança climática e no imperativo de proteger, promover e apoiar o aleitamento materno para a saúde do planeta e de seu povo. 

O tema foi escolhido de acordo com a área temática 3 da SMAM-ODS 2030, o qual alinha as campanhas em torno dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, e que destaca os vínculos entre a amamentação e o meio ambiente/mudança climática.

No Brasil, quem coordena a Semana de Amamentação é o Ministério da Saúde, responsável por adaptar o tema do ano e por elaborar os materiais informativos para distribuição pública. As ações têm apoio de Secretarias de Saúde Estaduais e Municipais, da Rede Brasileira de Bancos de Leite e de ONGs ligadas ao aleitamento materno.

Este ano os eventos de celebração e conscientização devem ocorrer virtualmente, respeitando o distanciamento social necessário.

História

A Semana Mundial do Aleitamento Materno é realizada desde 1992 em mais de 120 países. Estes dias foram definidos pela OMS e pelo Unicef com base na Declaração de Innocenti, assinada em 1º de agosto de 1990.

Este documento foi elaborado para traçar objetivos para reduzir a mortalidade infantil, todos ligados à amamentação. São eles:

  • Estabelecer um comitê internacional para coordenar as ações voltadas à amamentação;
  • Implementar a lista “10 passos para o sucesso da amamentação” em todas as maternidades dos países participantes;
  • Executar o Código Internacional de Comercialização dos Substitutos do Leite Materno;
  • Adotar uma legislação que promova a proteção da mulher na amamentação no trabalho.

Quais são os 10 passos para o sucesso da amamentação?

A lista traz os seguintes itens como facilitadores do aleitamento materno:

  • Ter uma norma escrita sobre o aleitamento materno e repassá-la rotineiramente a toda a equipe do serviço da maternidade;
  • Promover treinamentos para toda a equipe, de modo que todos estejam capacitados para implementar as normas de amamentação;
  • Informar todas as gestantes sobre as vantagens da amamentação e como ela deve ser feita;
  • Auxiliar as mães a iniciar a amamentação na primeira hora de vida do bebê;
  • Mesmo em casos em que as mães estejam separadas de seus filhos, mostrar a elas como manter a lactação e a amamentação;
  • Dar somente leite materno como alimento ao recém-nascido;
  • Permitir e possibilitar que mãe e bebês fiquem juntos 24 horas por dia após o parto;
  • Incentivar as mães a realizar amamentação em livre demanda (sem horários definidos);
  • Instruir as mães a não darem bicos artificiais ou chupetas para os bebês;
  • Encorajar as mães e buscarem grupos de apoio à amamentação.

Fonte: Diário do Sudoeste

Faça o seu comentário