A chegada do mês de março traz o período de chuvas, que se estende até julho. Nesta época, é maior o acúmulo de águas paradas e a consequente proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor dos vírus da dengue. De acordo com o levantamento mais recente do Ministério da Saúde, o Rio de Janeiro está entre os 16 estados do Brasil com alto risco de epidemia de dengue.

O Secretário de Saúde e Defesa Civil de Seropédica, Marcus Baroni, preocupado com a chegada do período de chuvas e a possibilidade da proliferação do mosquito Aedes Aegypti, e o aumento da doença, informa a população sobre os principais cuidados a serem tomados para prevenir o problema. A água sanitária é barata e de fácil uso, mas a população deve estar ciente de que isso é apenas uma alternativa. O primordial na prevenção à dengue continua sendo a eliminação dos potenciais focos do vetor. A água sanitária deve ser empregada em potenciais criadouros, ajudando a evitar a proliferação do mosquito da dengue.

dengue mata

Os vírus e os sintomas

O que poucas pessoas sabem é que são 4 tipos de vírus que transmite a doença: DENV-1, DENV-2, DENV-3, e DENV-4 – e que quando uma pessoa contrai a dengue, fica imune apenas ao vírus que a infectou, podendo ainda ter dengue causada pelos outros tipos de vírus. Todos os vírus causam os mesmos sintomas: forte dor de cabeça, febre, dor ocular severa (atrás dos olhos), dor nas articulações, dor muscular, erupção cutânea, leve manifestação de sangramento (nariz ou gengiva, hematomas, etc) e febre.  Os sintomas duram de 5 a 7 dias.

Tratamento e prevenção

Ainda não há vacinas ou medicação específica para tratamento de uma infecção por dengue. Entre as recomendações para o paciente estão: descansar e beber bastante líquido para evitar a desidratação. O uso de analgésicos e antitérmicos específicos para tratar os sintomas deve ser recomendado por um médico, sendo fundamental frisar que medicamentos à base de ácido acetilsalicílico, que possuem efeito anticoagulante, são desaconselhados.

A prevenção da dengue é feita através da eliminação do mosquito, que se reproduz apenas em água parada. Pontos que devemos observar são tonéis ou caixas de água sem tampa, vasos de planta e recipientes de bebida de animais – que devem ter a água trocada pelo menos uma vez por semana.

Dengue hemorrágica

A Dengue Hemorrágica é uma forma grave da doença que demanda hospitalização, por possuir alto risco para quem a contrai. Inicialmente ela se assemelha a dengue clássica, mas, após o terceiro ou quarto dia surgem sintomas como dores abdominais contínuas, vômitos persistentes, boca seca, pele pálida, dificuldade de respirar sangramento pelo nariz, boca e gengivas e manchas vermelhas na pele. Nestes casos, é fundamental procurar um médico.

mosquito