Medidas simples, como não passar as mãos sujas no rosto, são muito eficazes na diminuição de risco de transmissão de doenças respiratórias viriais, como o coronavírus. A doença matou 132 pessoas na China e infectou 5.974. O Ministério da Saúde tem acompanhado casos suspeitos do vírus no Brasil.

— Lavar as mãos com água e sabão é imprescindível. O hábito deve se repetir a cada duas horas, dependendo da rotina da pessoa. Se ela estiver num transporte coletivo, é importante lavar as mãos assim que possível — orienta Celso Granato, infectologista e diretor clínico do Grupo Fleury.

 

Apesar dos casos graves serem os que saltam aos olhos, a maioria das doenças respiratórias é leve e não causa grandes prejuízos para a pessoa. Os idosos, porém, são as mais suscetíveis a desenvolverem casos graves de doenças respiratórias. Por isso, eles são um dos públicos-alvo das campanhas de vacinação contra a gripe.

— Em casos de doenças virais, a resposta imunológica é muito importante. O combate é feito com algumas células, como os linfócitos. Com o passar dos anos, a quantidade dessas células vai diminuindo, o que deixa a nossa capacidade imunológica mais fraca — explica Granato.

O tratamento de doenças virais respiratórias são, na maioria das vezes, de suporte. O objetivo é amenizar os sintomas e dar subsídios para o organismo conseguir combater o patógeno, por meio de hidratação com soro e ventilação com oxigênio. Apenas para alguns vírus Influenza, que causam a gripe, há remédios.

— Depois de ficarmos curados de uma doença viral, desenvolvemos anticorpos contra aquele patógeno. Mas é importante lembrar que vários vírus podem causar a mesma doença. Por exemplo, existem mais de cem tipos de rinovírus, responsáveis pelo resfriado — finaliza o médico.

Faça o seu comentário